Jovens, aproveitem o seu tempo! Pensem em independência financeira!

A conquista da liberdade financeira deve ser iniciada quando ainda somos jovens. Com tempo, temos maiores probabilidades e menores dificuldades para sermos, de fato, livres!




Nesse final de semana li o texto de nosso amigo da finansfera AA40 (Aposente-se aos 40), "Estamos vendendo nossa saúde física e mental". Nele, o autor demonstra sua ansiedade em alcançar o mais rapidamente a liberdade financeira, em virtude de dissabores do trabalho, perda da saúde e preocupações com seu papel no futuro de sua família. Sem mais spoilers, convido os leitores a lerem seu excelente relato.

Eu planejava publicar outro texto nessa segunda-feira, mas a leitura fez-me empático com o autor e seus problemas, uma vez que passei por algumas situações semelhantes (embora não com a gravidade que ele nos conta). Essa identificação, e a manhã excepcionalmente vazia, incentivou-me a escrever, mesmo a toque de caixa, sobre a importância em aproveitar bem nosso tempo antes da chegada dessa fase da vida.

Já faz algum tempo que comento para minha filha que, no início de nossa vida profissional, o mundo é mais convidativo e as dificuldades não são tão evidentes conosco. Boa saúde, grandes ideias e excesso de motivação nos tornam invencíveis. As responsabilidades são menores, pois a maioria ainda não formou família e filhos. E, se algo der errado, ainda temos o pronto apoio dos pais.

Porém, não subestimemos a carga do tempo. Se não houver um grande dinamismo em nossas atividades, tendemos a gostar cada vez menos do que fazemos. E aí começam vários problemas... A chegada de maiores responsabilidades, seja moradia própria, sejam herdeiros ou crescente pressão da sociedade para divulgar o seu "sucesso", podem criar uma carga de compromissos pesada no dia a dia.

Aos poucos, a desmotivação aparece. Com ela, chega o mau-humor e o tédio, o cansaço, muitas vezes com efeitos em nossa saúde. Já não tão jovens, nosso corpo não possui as mesmas respostas e a resiliência de quando tínhamos 20 e poucos anos, e mesmo aquela atividade que amávamos começa a não parecer tão prazerosa assim. Afinal, o que aconteceu com aquela frase que gostávamos de repetir: "faça o que ama e você nunca precisará trabalhar na vida"?

Por que a preocupação com a independência financeira deve começar quando ainda somos jovens? Por que só seremos livres, de fato, quando a conquistamos?O fato é que mudamos. Não sabemos se iremos amar as mesmas atividades com que começamos nossa vida profissional. Claro, existem muitos casos contrários a essa possibilidade ideia, com pessoas que possuem uma vida profissional ativa e variada e que, mesmo talvez na faixa de 40 anos, não passaram pelo sentimento que relato.

Mas não nos enganemos: a experiência da maioria das pessoas com o tempo não é positiva. O mais provável é o desejo de fugir da situação o quanto antes e rezar para que a "aposentadoria" chegue rapidamente. Afinal, você já ouviu alguém expressar esse "desejo", não?

Se esse for o caso de um leitor acima dos 40 sem reservas financeiras, deveria ser motivo de preocupação: a previdência social está falida e não deveríamos contar com  a aposentadoria  "oficial" para viver bem. Mas apesar de sempre termos tempo de mudar essa condição, vocês, jovens, possuem condições muito mais vantajosas que a gente. E é sobre esse tema que sigo adiante.


A independência/liberdade financeira



Por que a preocupação com a independência financeira deve começar quando ainda somos jovens? Por que só seremos livres, de fato, quando a conquistamos?Independentemente de sua idade, pense em ser, o mais rapidamente possível, livre financeiramente. Existem muitas definições de liberdade financeira. Existem até divergências de conceitos entre independência e liberdade financeira, embora eu acredite que não devemos perder muito tempo com isso. Mas, se deseja aprofundar cada significado, leia "Como saber se você chegou à independência financeira. Matematicamente.

Para o intuito deste texto, considere que essa liberdade virá quando a renda de seus investimentos cobrirem, com folga, suas despesas mensais. Se houver interesse sobre a importância da liberdade para uma vida prazerosa, leia os textos abaixo.

"Investimentos: uma viagem lenta à independência financeira"
"Sonhos, liberdade financeira e lições da raposa e do Pequeno Príncipe"

Fica também a dica dos livros que ilustram o texto. São livros que já li e acredito que são excelentes fontes para estruturar essas ideias. Você pode conhecê-los um pouco mais clicando em suas capas.

Lembre-se sempre, que nada é pelo dinheiro. O dinheiro é apenas um meio que fornece liberdade para você decidir o que fazer no futuro, sem ficar preso a uma atividade que antes era motivadora e hoje tornou-se um fardo. Ele te liberta da dependência de um salário e permite, por exemplo, que você alce voos mais altos profissionalmente. Quem sabe nesses anos você deseje ser um empreendedor? Não seria mais fácil com uma boa reserva financeira?

Ou será que você queira apenas viajar pelo mundo? Talvez ajudar pessoas, colaborando com uma entidade assistencial? Ou, ainda, ter um novo bebê e, com uma reserva financeira que não lhe obrigue mais a trabalhar, poder acompanhar o crescimento de seu herdeiro de perto, compensando sua falta em seus primogênitos?

Assim, ser independente financeiramente tem muito menos a ver com dinheiro e sim, com liberdade e tempo livre, tornando você o "seu senhor" para decidir como usá-lo da melhor forma. Sem precisar vendê-lo em troca de um salário, você pode autodenominar-se, efetivamente, uma pessoa livre!


O tripé para a independência financeira



Por que a preocupação com a independência financeira deve começar quando ainda somos jovens? Por que só seremos livres, de fato, quando a conquistamos?
Receba vouchers para câmbio ou transferência de dinheiro pelo blog
Precisamos otimizar três variáveis para alcançar esse intento. Duas delas dependem de escolhas pessoais e imediatas: superávit orçamentário e uma boa estratégia de investimentos. Independentemente de nossa idade, elas podem ser aplicadas imediatamente em nossa vida.

O superávit orçamentário pode ser relacionado com nosso estilo de vida. Devemos manter um equilíbrio entre nossas aspirações imediatas e futuras. Ou seja, se privilegiamos o curto prazo com gastos excessivos ou priorizamos nossa liberdade no longo prazo. Se imaginarmos como confundimos prazer com despesas e usamos mal nosso dinheiro, esse objetivo não fica tão distante de alcançar.

Um debate mais profundo desse tema pode ser lido no texto "Quando a vergonha ofusca o real prazer e lesa sua independência financeira".

Por que a preocupação com a independência financeira deve começar quando ainda somos jovens? Por que só seremos livres, de fato, quando a conquistamos?Em suma, quanto maior a frugalidade, maior nosso superávit e mais rápida a chegada de nossa liberdade financeira. Não confunda, porém frugalidade com mesquinhez. Essa ignorância sobre seu significado é a maior responsável pela sua não adoção, gerando uma massa de pessoas endividadas e dependentes da aposentadoria do governo. Não caia nessa. Aproveite e leia um pequeno (porém grande) texto do blog Valores Reais: "O que é frugalidade?".

A segunda variável é a estratégia de investimentos. Precisamos ser investidores sensatamente seguros a longo prazo, mas aplicando a dose certa em renda variável para que possamos usufruir dos melhores momentos do mercado. Como já comentei em vários posts desse blog, explico o método que uso no texto "A alocação de ativos ao alcance de todos". Já expliquei também, de modo muito prático, como sugeri à minha filha iniciar seus investimentos através desse método em doses homeopáticas e pedagógicas. Leia em "O nascimento de uma carteira de investimentos. E uma planilha de brinde".

Por que a preocupação com a independência financeira deve começar quando ainda somos jovens? Por que só seremos livres, de fato, quando a conquistamos?Enquanto essas duas primeiras variáveis - superávit orçamentário e uma boa estratégia de investimentos, nos tornam totalmente protagonistas em sua execução e não permitem vantagens para um grupo específico de pessoas, a terceira pode parecer injusta para alguns, notadamente os mais velhos: o quanto ainda nos resta de "tempo". Uma vez que a vida humana possui um limite, ela privilegia os mais jovens, uma vez que possuem maior prazo para alcançar melhores resultados.

Sempre há tempo para recomeçar, mas não neguemos o fato de que, quanto mais o temos, alcançaremos montantes financeiros comparavelmente maiores no futuro para nossos grandes projetos. Ou, se possuirmos objetivos financeiros mais modestos, poderemos usufruí-lo quando ainda estivermos bem de saúde e em plenas condições de viver a vida que desejarmos.

Permitir a atuação dos "juros compostos" ao seu lado e colher seus benefícios, pode ser uma das melhores escolhas que podemos fazer pela nossa vida, e por que não, também pela vida dos outros? Afinal, só podemos ajudar os demais se estivermos bem fisicamente e mentalmente, o que só ocorre se temos uma vida bem administrada.

Assim... jovens: aproveitem seu privilégio!

Por que a preocupação com a independência financeira deve começar quando ainda somos jovens? Por que só seremos livres, de fato, quando a conquistamos?
Jovens, o mundo muda. Suas cabeças e pensamentos mudam. Seus corpos, o vigor, a saúde, tudo muda. As pessoas e os relacionamentos mudam. Não confiem que seu futuro profissional será sempre incrível. Se vocês estiverem junto à maioria, ele não será. Mas vocês possuem um tempo disponível que nós não possuímos mais.

Talvez vocês não tenham noção do que esse tempo pode fazer por vocês. Estudem algo sobre juros compostos. Eles são, segundo frase atribuída a Einstein, uma das grandes maravilhas do mundo revelada pelo tempo. Vocês não deveriam desperdiçar a condição única que possuem. Eu mesmo demorei a pensar no assunto, sendo provocado por um professor na pós-graduação. Imagino como seria se tivesse iniciado antes... (resumi minha experiência no texto "Minha biografia e os 5 elementos que compõem a inteligência financeira").

Por que a preocupação com a independência financeira deve começar quando ainda somos jovens? Por que só seremos livres, de fato, quando a conquistamos?Fujam das tentações do mundo. Esquivem-se da prisão consumista que a publicidade lhe oferta, dia a dia. Ignorem as pessoas que os julguem pela suas posses ou avaliem seus comportamentos pelo grau de esbanjamento que praticam. Resistam à tentação de relacionar sucesso com prodigalidade. A maior probabilidade é de que esse estilo de vida não seja sustentável.

Aproveitem a abundância de informações que possuímos no mundo atual e deem uma guinada na construção de seu futuro. Invista em uma carteira de investimentos com o seu perfil. Esse blog oferece muitos textos para ajuda-los nesse processo. Alguns deles estão distribuídos pelos links nesse texto. Outros podem ser acessados pela página "Liberdade financeira". Veja a lista dos blogs que sigo na coluna da esquerda dessa página (menu "sanduíche"). Existem textos excelentes em cada um deles. Não aproveitar a condição que vocês possuem hoje, seria uma grande tolice.



* * * * * * * * * *

Se você ainda não viu, nesse blog existe também uma página que agrega artigos que fornecem gratuitamente planilhas e calculadoras financeiras para download. Virão outras adiante.


* * * * * * * * * *

Os links para a Amazon são links afiliados: adquirindo qualquer produto no site, o blog recebe uma comissão sem alterar o seu preço de compra. É uma forma de estimular novas postagens no futuro!

* * * * * * * * * *

Para receber atualizações de forma exclusiva e gratuita desse blog, clique no link abaixo:


* * * * * * * * * *
Se gostaram do post, que tal compartilhar com amigos em suas redes sociais?

Comentários