Postagens

Mostrando postagens de Janeiro, 2014

A diferença básica entre os pensamentos liberais e estatizantes

Imagem
A diferença fundamental do pensamento liberal e do pensamento estatizante e coletivista, baseia-se principalmente em relação à manifestação das oportunidades.
A imagem ao lado ajuda a exemplificar bem o abismo que divide a essência dos pensamentos liberais com os pensamentos estatizantes e coletivistas. O primeiro luta para que todos tenham as mesmas oportunidades, e com isso, possam com seus próprios méritos, brilhar como indivíduo. O segundo, faz o jogo de cena de eternizar uma esperança que nunca chega, criando a contínua dependência necessária para se perpetuar no poder. O maior problema da aceitação do óbvio, é o fato de que a maioria não deseja possuir a responsabilidade para subir por si mesma a escada. E prefere o afável conforto da dependência, como em alguns pontos comentados na postagem Admirável mundo novo: até quando uma ficção?.

Alguns pensamentos para entender como o Estado converte essa dependência em dominação para procurar seus próprios propósitos, podem ser lidos na …

Em época de eleição, os esquerdistas estão alucinados por um fato novo

Imagem
Em ano de eleição, as abstrações esquerdistas estão apenas começando. Na ausência de algo positivo, fatos serão criados para desviar a atenção da população. A guerra de classes é o tema preferido.
Os esquerdistas (entendendo-se aqui como "coletivistas"), ao menos as alas mais radicais, estão em desespero. Não existe nada de substancial para apresentar de positivo para a população. Na economia, após 12 anos de governo PT, dados negativos imperam e a tendência é piorar. Para aflição ideológica, o executivo federal acelera as privatizações para tentar salvar uma parte do bolo. Na política, corrupção em todos os setores. Na inflação, o teto da meta já está ameaçado e mesmo a mentirosa taxa de desemprego está subindo. Na preparação da Copa do Mundo, superfaturamentos e atrasos. Estão alucinados para gerar algum fato novo e desviar a atenção das pessoas. Ano de eleição, né? Vem muito mais por aí...
Nesses últimos dias, o fato novo foi o “rolezinho”, tema de um post meu há alguns d…

A formiga e a cigarra – a fábula de Esopo na versão brasileira

Imagem
Essa adaptação brasileira da fábula da formiga e cigarra de Esopo, demonstra a alteração dos valores e a inversão moral e ética da atualidade.
Recebi há tempos esse texto que desconheço a autoria. No documento original, a cigarra foi substituída por um gafanhoto. Desconheço o porquê, pois está certo que foi uma inspiração da versão original da fábula de Esopo, cujos personagens eram justamente uma cigarra e uma formiga. Preferi manter os personagens clássicos e apenas troquei o gafanhoto pela cigarra. Entretanto, apesar de algumas referências políticas e sociais estarem desatualizadas, eu preferi manter o texto original nesse caso, que resume bem a importância dos valores nesses tempos.
E não é difícil perceber que nada mudou. Continuamos com o desprezo pela meritocracia, com a glamourização do oportunismo, o desrespeito à propriedade privada, a irresponsabilidade da mídia, os roubos contra a justa riqueza, os "interesses sociais” escusos acima da justiça... Movidos principalment…

A apropriação do “rolezinho” como uma guerra de castas pela esquerda

Imagem
A politização vergonhosa dos "rolezinhos" pela esquerda e a incitação à guerra de castas no Brasil.
Saiu hoje a seguinte manchete no Estadão: Dilma já usa ‘rolezinho' contra a oposição:
Em mais uma tentativa de se contrapor ao PSDB, o governo Dilma saiu em defesa dos jovens que promovem "rolezinhos" nos shoppings e tentou acusar os adversários de fazer discriminação social. Na avaliação do Palácio do Planalto, o apoio à manifestação não apenas serve de antídoto a possíveis atos de vandalismo como ajuda a aproximar a presidente Dilma Rousseff de jovens da periferia, nas redes sociais, neste ano de eleições.”
É vergonhosa e ridícula a forma como a esquerda se apropria de fatos para seu proveito próprio, politizando-os de forma a criar uma guerra social inexistente, seja de raças ou de classes, posicionando-se como paladinos da justiça a favor dos “excluídos”. Criam uma discriminação patética em locais onde todas as pessoas convivem de forma democrática e pacífica…

Fernando Pessoa e a lógica em sonhar com o bem comum

Imagem
O dia em que Fernando Pessoa deu algumas dicas sobre "sonhar com o bem comum" para os progressistas da esquerda, supostos paladinos da justiça e bem estar social.
Alguns indivíduos têm um ideal. Ou um sonho. Maravilhoso ao seus olhos, estão dispostos a tudo para torná-lo realidade. Paladinos da justiça e do bem coletivo, importam-se pouco com os direitos individuais. Respeitam menos as opiniões divergentes. Nessa ânsia de mudança, a certeza de sua alma caridosa e do resultado de suas ações para o bem comum transpassam a tudo. Inclusive ao respeito à individualidade e direitos de cada pessoa. Os fins justificam seus meios.
Mas se esquecem que, “se as coisas fossem como tu queres, seriam só como tu queres”, como dizia Alberto Caieiro, que nos dá uma lição de resistência à patrulha dos politicamente corretos, à patrulha apocalíptica, à patrulha da guerra das classes, à patrulha das minorias… enfim, aos “progressistas” de plantão, que dia após dia, nos dizem como ser boas pessoa…

Viagem Lenta - 2014

Imagem
Novos objetivos do blog como meio de lembrança, reflexão, e auxílio para aventureiros que prezam sua liberdade, tanto em viagens físicas, mas também no dia a dia.
Acrescentei o seguinte texto na aba “O blog”, enfatizando o porquê da inclusão de novos temas por aqui:

“Após a viagem que deu origem ao blog, fiquei alguns meses afastado das postagens. Concorrendo com minhas atividades diárias existia um desejo de compartilhar pensamentos, bons textos, recomendações de livros, etc, mesmo não ligados às viagens em si. Não me apetecia, entretanto, criar outro blog e drenar tempo com duas administrações. Até por não possuir ambições comerciais, incorporei que, apesar de aparentemente misturar alguns temas, aqui é meu espaço, e o objetivo maior é guardar ideias e comentários aos quais atribuo significância e qualidade. Se gerar discussões por quem se interessa, melhor ainda. Caso contrário, nada será perdido, pois acredito ser o local mais seguro para armazená-los, uma vez que posso fazer back…