ofertas de lancamentos

O blog

(04/01/2014) - Atualização


Após a viagem que deu origem ao blog, fiquei alguns meses afastado das postagens. Concorrendo com minhas atividades diárias existia um desejo de compartilhar pensamentos, bons textos, recomendações de livros, etc, mesmo não ligados às viagens em si.

Não me apetecia, entretanto, criar outro blog e drenar tempo com duas administrações. Até por não possuir ambições comerciais, incorporei que, apesar de aparentemente misturar alguns temas, aqui é meu espaço, e o objetivo maior é guardar ideias e comentários aos quais atribuo significância e qualidade.

Se gerar discussões por quem se interessa, melhor ainda. Caso contrário, nada será perdido, pois acredito ser o local mais seguro para armazená-los, uma vez que posso fazer backup periódico e não está sujeito ao vai e vem das redes sociais, onde a necessidade para rever uma postagem antiga demanda um esforço tremendo. Algo bem mais simples na plataforma do Blogger.

Acredito que o blog não se tornará um Frankstein, entretanto. O tema "Viagens" pode ter significados mais amplos. Eu explorei um desses significados na postagem "Investimento: uma viagem lenta?", mostrando que investir financeiramente, visando sua liberdade, também é uma viagem lenta, onde ponderar o presente e o futuro é essencial.

As viagens, ou as nossas liberdades geográficas, estão intimamente ligadas à outras liberdades, como à liberdade política e intelectual ou à liberdade ou independência financeira. A primeira passa por não termos que pedir licença para expressar nossas opiniões e não permitir coerções que nos impedem de agir como bem entendemos. A segunda, possibilita criar condições que nos leve a depender menos de terceiros e sermos protagonistas, de fato, em nossa vida.

O combate às forças que agem contra elas, permearão os temas dos novos artigos. E atualmente isso não está sendo muito óbvio.

Na surdina, leis e regulamentações criadas em uma frequência crescente pelo Estado têm impedido de sermos nós mesmos, de alcançar a plenitude de nosso próprio conhecimento e auto-estima, ao mesmo tempo que retira grande parcela de nossa responsabilidade na construção de nosso destino. A vergonha que a sociedade nos impõe para o consumo irracional de bens e a falta de alfabetização financeira é uma grande restrição para a maioria dos brasileiros, que continuam presos à corrida de ratos.

Assim, não é à toa que foram criados dois novos temas no menu horizontal abaixo do cabeçalho do blog: Liberdade Política e Liberdade, ou Independência, Financeira, onde listarei os links das postagens.

Por inspiração em uma conversa com um grande amigo, resumo a nova proposta na forma de um ciclo:

“A LIBERDADE só é frutífera quando, através de REFLEXÕES baseadas na sabedoria do real valor da vida, distante de bens físicos e oculto na rotina, nos possibilita viajar e desfrutar a estrada da vida na forma de uma DANÇA LENTA. Essas VIAGENS, físicas ou não, tornam-se possíveis quando percebermos que estamos presos em uma perversa corrida de ratos, e que sua porta de saída é gerenciar os INVESTIMENTOS de forma equilibrada, nos proporcionando tempo e independência. E são o tempo e a independência que viabilizarão a almejada LIBERDADE.”

Vamos então, aos poucos, iniciando essa construção…

______________________________________________________________________________________________

Texto inicial "O blog", de Dezembro de 2012.

Esse blog, o primeiro que escrevo, foi criado com o intuito de constituir um relato de viagem passível de compartilhamento (momentâneo ou posterior), além de incentivo para que outras pessoas se aventurem a empreender roteiros semelhantes.

O primeiro ponto é algo a ser levado em boa consideração. Já fiz algumas boas viagens na minha vida e as lembranças externas à memória que permaneceram, resumem-se a fotos. Muitas contatos criados foram perdidos (antes do orkut/facebook isso era mais evidente), detalhes de passeios, hospedagens, comidas e cervejas... Hoje quando me perguntam algo mais específico sobre a Europa, por exemplo, fico devendo. Existem muitas fotos as quais não me permitem mais interpretar e lembrar das situações. Vamos ver se a prática da escrita e a tecnologia me ajuda a fazer diferente dessa vez.

O segundo ponto também é relevante. Fui muito auxiliado por pessoas do site www.mochileiros.com e outros blogs pela web. Mas sempre tive dificuldade para acompanhá-los de forma corriqueira e ajudar tanto quanto fui ajudado. Vou partilhar os textos dos roteiros na minha conta do 'mochileiros', propondo-me ainda a realizar um esforço maior para estar mais presente por lá.

Reflexões sobre as viagens, físicas ou apenas como formas de expressão de nossas decisões e ações (1) e as suas consequências no nosso cotidiano estarão presentes. Acredito que novos horizontes e culturas revelam outras perspectivas na compreensão de nossa realidade. Assim, embora esse blog esteja sendo criado com o objetivo primário da viagem, eventualmente não vou resistir em realizar outros tipos de postagens, mesmo que nem sempre ligadas diretamente ao roteiro da viagem em si. É uma experiência, vamos ver como vai ser. Os posts serão divididos em categorias, as quais ajudarão a dividir os assuntos.

Bem, e o primeiro ponto é não trocar a ordem natural das coisas. Primeiro a viagem, depois o blog… Vou tentar escrever nos momentos de descanso, dentro de trens, aviões (depois que descobri que podemos escrever offline para postar posteriormente, achei que ter um blog para uma viagem seria possível), mas sem prejudicar o andamento natural na estrada. O segundo, é não tornar-se um escravo da liberdade. O conceito de liberdade pressupõe a ausência de dependência. Inclusive da própria liberdade.

Boas leituras e viagens!

(1) Dança Lenta

P.S.: Recentemente incluí um tema a mais no menu principal: Reflexões, que abrange todos os posts não diretamente ligados às viagens em si.

P.S.(2): Ao final da viagem, fiz algumas considerações sobre o blog nesse link: 205 dias de viagem.

Comentários

  1. Carolina Bottura José05 dezembro, 2012

    Tô seguindo, hein?! Fiquei feliz em saber da "missão"! Feliz mesmo! Have a nice trip, buddy!

    E vou ficar com a sua frase na cabeça, ainda mais agora, neste momento da minha vida. "...é não tornar-se um escravo da liberdade. O conceito de liberdade pressupõe a ausência de dependência. Inclusive da própria liberdade."

    Pé na estrada! =)

    ResponderExcluir
  2. EAE tudo 100% ?
    AH muleque,divirta-se todos os dias nesta cabulosa viagem
    como se o mundo fosse acabar amanha,
    e quando acabar a bateria da sua camera fotografica
    grave na mente o cheiro do lugar;
    sera melhor que gravar uma imagem isso te garanto...

    BOA VIAGEM !
    sua atitude determina a sua altitude !

    ResponderExcluir
  3. Cheiros, sensações, vibrações... tudo isso deveria causar mais espanto hoje em dia, mas a rotina não deixa... vamos sair dela então Fabião!

    Abração e obrigado pelas palavras!!!

    ResponderExcluir
  4. Oi André!
    Belo texto!!!
    Apesar de encontrar alguns problemas, estou certa de que a viagem não perderá seu encanto. Em alguns momentos como você relatou que encontrou outros viajantes solitários e caminhou com eles ou elas por algum tempo e ainda encontrará outros, mas, percebe-se que a maior parte do tempo este tipo de viagem é sempre solitária e isto faz com que experimente um tipo de devaneio por todos os lugares que passa e sendo assim, penso que fica impossível não meditar, mesmo que não tenha este costume, pois, entendo que uma vez longe da família e de seu mundo, o viajante solitário se torna autor de tudo que observa e acaba buscando a causa de tudo o que sente, submetendo seu interior a um exame do passado, presente e futuro, refletindo sobre a finalidade de tudo que vê...
    Com certeza, tudo que presenciará e experimentará ainda ficará gravado para sempre em sua vida, então, aproveite estes momentos de reflexão e contemplação, porque apesar dos obstáculos encontrados e da nostalgia que sentirá em alguns momentos, os progressos sobre si mesmo que realizará, fará com que volte desta viagem, mais virtuoso e mais enriquecido espiritualmente.
    Beijos

    ResponderExcluir
  5. Respondi no seu outro comentário! Bjus!!!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

kindle

Leia também:

O adeus ao cartão Infinite, às "milhas aéreas" e a opção ao Nubank

Liberdade e poder: os direitos naturais de John Locke revisitados

Porque abri uma conta no banco Inter e deixei de usar o Bradesco