Algumas estatísticas do blog - recordes de visitas e de assinantes

Quantas pessoas já visitaram o blog esse ano? Quais são as postagens mais lidas? Qual é o seu público? Quantos assinantes possui?

Nessa postagem, farei um pequeno documentário sobre o Blog Viagem Lenta. Acredito que alguns comentários serão úteis para blogueiros, e também interessantes para quem nunca mexeu com tais plataformas.

Coloco ainda minhas dúvidas em como lidar com alguns aspectos e informações perante os leitores.


Olá, caros leitores. Essa postagem, além de um agradecimento aos leitores, que são a força motriz para todas as pessoas que fornecem conteúdo gratuito na web, mostra um pouco mais das estatísticas do blog e o perfil de seu público. Para os blogueiros, essas informações podem ser relevantes nas comparações com seus próprios blogs. Não pelo frio número de visualizações de página somente, mas talvez pelo entendimento de como algumas páginas levam nossos blogs nas costas, ou como nosso público interage com elas. Suas observações nos comentários enriquecerão muito o texto.



Para os não blogueiros, as informações podem servir como curiosidade para perceber como, com a ferramenta Google Analytics, podemos ter várias dados sobre o público que nos acessa. A ideia, portanto, é apresentar brevemente essa ferramenta que, acredito, alguns blogueiros não usam, perdendo referências importantes para seu blog.

Não será escopo desse texto, explicar a temática desse blog para os novos leitores. No menu acima, você pode acessar o link "O blog" para acessar essas informações. Avante!

O Google Analytics


A ferramenta do Google Analytics permite que qualquer proprietário de um domínio na internet (blog, site ou loja virtual) seja capaz de analisar o perfil de seus visitantes e como eles interagem com o seu conteúdo. As métricas (sistemas de mensuração) e dimensões (atributos dos visitantes) que ele oferece são inúmeras, permitindo uma clara visualização da repercussão de suas postagens e tornando-o uma ótima ferramenta de decisão para os profissionais online.

O serviço é oferecido gratuitamente pelo Google e sua instalação no site é relativamente simples, com a adição de um código Javascript em sua HTML. Seu sistema de medição chega bem próximo à realidade, embora possa ser influenciado por bloqueios gerados na página do visitante. De qualquer forma, é um instrumento muito mais acurado do que outros sistemas de medição, como o contador do Blogger, Wordpress e páginas como Alexa.

Os números dos contadores de visitas que normalmente vemos em sites pela web são oriundos dessas plataformas, e não do Google Analytics. Esses dados são muito menos acurados, uma vez que consideram visitas não reais como crawlers e bots, que são códigos provindos de mecanismos de pesquisas ou de sites maliciosos. Para ter uma ideia dessa diferença, no momento que escrevo, o site Viagem Lenta já ultrapassou o número de 1 milhão de visitantes pelo contador do Blogger, enquanto o real apontado pelo Analytics ainda não chegou em 500 mil visitas. Ou seja, mais do dobro da diferença!

Para conhecer mais do Google Analytics, veja essa página, criada pelo próprio Google. Existe todo um arcabouço de informações para se aprofundar na ferramenta. Eu aprendo sempre um pouquinho por vez e parece que as possibilidades nunca terminam. Nesse texto, exponho alguns dados desse recurso a seguir, referentes aos 11 primeiros meses de 2017 em comparação com o mesmo período de 2016.

As visitas no blog


Visualizações totais de páginas


A primeira métrica mais óbvia que analisamos é o número de pageviews, ou visualizações de página do blog. Pelo gráfico abaixo, vemos o número de visualizações de página mensais do blog nos meses de janeiro a novembro de 2017, comparativamente com os números do ano anterior. O aumento foi de mais de 63%, ocorrendo um crescimento muito significativo a partir de agosto desse ano,  já se aproximando da marca de 30.000 pageviews por dia.

Veja alguns números, estatísticas e novos recordes do blog Viagem Lenta. E minhas dúvidas em como lidar com alguns aspectos do blog.

Uma parte desse crescimento pode ser explicada pelo fato de que, em Agosto, a frequência de postagens (novas ou renovadas) passou a ser semanal. Anteriormente, a inclusão de novos materiais era esparsa e não havia regularidade. Para termos uma ideia, no primeiro semestre de 2017, foram postados 6 artigos. No segundo semestre, 33. Os leitores podem checar as periodicidades acessando o menu à esquerda (para telas menores, clique no menu sanduíche) no menu "Arquivos do blog".

Algo que me pergunto às vezes é, até que ponto, ou melhor, até em que grau, essa relação (frequência de postagens x visualizações de página) possuem uma correlação diretamente proporcional. Será que se eu dobrar a frequência de postagens (duas vezes por semana) iria dobrar o número de visualizações do blog? Existem pistas que validariam esse pensamento, quando pensamos principalmente no efeito das buscas orgânicas (volto ao assunto a seguir), que possuem uma decorrência exponencial. Mas, por outro lado, isso poderia cansar alguns leitores e até, inconscientemente, prejudicar a qualidade dos artigos, pois já dizia o velho ditado de que a "pressa é inimiga da perfeição". O que acham, os blogueiros, sobre esse ponto?

Visualizações de páginas por artigo


O blog possui, nesse momento, 174 postagens, sendo que destas, 75 correspondem às postagens em sua fase inicial, referente a minha viagem à Ásia que originou o blog. Não são artigos propriamente ditos, mas sim, cartas de um diário, atualmente raramente visualizadas. Podemos considerar então, que o blog tem, de fato, 99 postagens, e destas, mais da metade foram escritas em 2014, no calor dos debates da eleição presidencial. Nessa nova fase do blog, a partir de 2016, temos apenas cerca de 40 postagens ao total.

O tema da liberdade é dividido no blog sob três aspectos: liberdade financeira, liberdade política (com um pouco de filosofia) e liberdade geográfica (viagens). Em função da fase inicial do blog, essa última ainda prevalece, com quase 80 postagens. A segunda possui cerca de 65 textos, enquanto que o assunto de liberdade financeira compreende cerca de 30 artigos.

Nesse tópico, compartilho algumas curiosidades sobre o total de visualizações no blog para as 30 páginas mais vistas. Como os dados dessas métricas são mais complexos, não consegui pelo Google Analytics um relatório simplificado da forma como gostaria. Por isso, exportei seus dados para o Google Planilhas e acrescentei algumas observações. Sigamos abaixo.

Veja alguns números, estatísticas e novos recordes do blog Viagem Lenta. E minhas dúvidas em como lidar com alguns aspectos do blog.


Eu colori com verde-claro as páginas publicadas originalmente no primeiro semestre e em verde-escuro, as publicadas no segundo semestre de 2017. As não coloridas, refere-se a artigos escritos em anos anteriores. É possível observar que, das 10 páginas mais vistas de Janeiro a Novembro de 2017, seis são publicações mais antigas. Disso infere-se que, grande parte das visitas no blog são oriundas dos mecanismos de busca da Internet, ou seja, existe um indexamento razoável dessas páginas para alcançar leitores que nunca visitaram o blog. Comentarei a origem das visitas posteriormente.

A segunda observação interessante é a contribuição que as páginas mais vistas fornecem para as visualizações totais do blog. Na última coluna, percebemos que as top ten contribuem com quase metade das visitas do blog. As 30 páginas mais vistas, colaboram com mais de 60%. Isso reflete como os acessos do blog estão concentrados em um pequeno número de páginas, considerando o número de páginas totais.

Por fim, eu incluí uma coluna no quadro acima com o tempo médio de visita na página. Considerei o número bem satisfatório, pois há de fato, o interesse de leitura entre os visitantes. Caso as pessoas acessassem a página e não gostassem do conteúdo, elas sairiam rapidamente prejudicando esse tempo médio. Claro que essas situações existem, mas uma vez que os números na coluna representam uma média, temos muitos visitantes que ficaram um tempo significativo apreciando os artigos.

Aos blogueiros: essas três observações diferem-se muito em seus blogs?

Aquisição (ou origem) das visitas


Como comentei acima, uma vez que as páginas mais visualizadas do blog foram publicadas em anos anteriores, grande parte das visitas provêm dos mecanismos de pesquisa, como o Google. A informação da origem do fluxo de visitantes para os sites é fornecida pelo Google Analytics pela dimensão "Aquisição". Sem se ater muitos aos termos, o gráfico a seguir exemplifica claramente a que me refiro.

Veja alguns números, estatísticas e novos recordes do blog Viagem Lenta. E minhas dúvidas em como lidar com alguns aspectos do blog.
Sempre comparando os anos de 2016 e 2017, vejam que o canal "Organic Search", que são as visitas provenientes dos mecanismos de pesquisa, prepondera no fluxo para o blog. O valor percentual caiu em 2017 não pelo fato de que o volume de pesquisas diminuiu (também tem como checar  isso na ferramenta), mas porque os demais aumentaram. Isso está diretamente ligado ao aumento das postagens em 2017, que possibilitaram outras interações.

O tráfego "Direct" corresponde à digitação do endereço do blog no campo de endereço do navegador. Confesso que fico intrigado com esse alto percentual. Existem tantas pessoas assim que chegam ao meu blog apenas pela digitação pura e simples, sem ao menos possuir qualquer indução como um post em redes sociais ou um e-mail? Se algum leitor chega aqui dessa forma, um comentário será muito bem-vindo!

Reparem que o canal de redes sociais vem diminuindo sua participação. Isso é previsível, pois as redes, principalmente o Facebook, estão limitando o alcance de nossas postagens para priorizar quem está pagando por esse fluxo. Não é o meu caso. Assim, o leitor que insiste em acompanhar o blog por redes sociais, estará cada vez mais distante de suas atualizações. Recomendo assinar por e-mail (botão acima na página ou ao final do texto) ou por um agregador de conteúdo, como o Feedly, cujo funcionamento expliquei nessa postagem.

O tráfego de referência é o fluxo proveniente de compartilhamento de links entre páginas na internet, ou seja, houve uma melhora nas visitas do blog através de referências de artigos em sites de terceiros. E o fluxo por e-mail, praticamente inexistente em 2016, vem crescendo muito (embora ainda distante dos demais), em função de minha adesão ao Mailchimp, um gerenciador de envio de e-mails que comentarei posteriormente, cuja base de dados vem colecionando recordes a cada mês. E em seu blog, qual é a proporção dessas dimensões?

O perfil das pessoas que visitam o blog


O Google Analytics, repito, fornece muitas informações. Até demais... Mas, para manter essa postagem em um tamanho aceitável, vou encerrá-la mostrando duas variáveis do público - idade e gênero e como que essas visitas se correlacionam com o tempo de leitura investido nos arquivos. A conclusão é interessantíssima!

Inicialmente, vejam o gráfico da faixa etária e do gênero dos visitantes do blog. Em azul, o ano de 2017, e em laranja, 2016. Reparem que a maior parcela de visitantes são de pessoas na faixa de 25 a 34 anos, e em seguida, os mais jovens, de 18 a 24 anos. Parece que na comparação anual vemos um efeito potencializado da pirâmide demográfica brasileira, com os mais jovens caindo um pouco no percentual e os mais idosos, aumentando...

No gênero, não vemos muitas diferenças: o percentual do sexo masculino mantém-se em torno de 55% das visitas do blog, apesar das mulheres serem maioria na população.

Veja alguns números, estatísticas e novos recordes do blog Viagem Lenta. E minhas dúvidas em como lidar com alguns aspectos do blog.

Como vimos na tabela de visualizações de páginas, uma das métricas que podemos escolher para qualquer dimensão no Google Analytics, é o tempo de visita na página, isso é, quantos minutos uma determinada dimensão gasta na leitura dos artigos do blog. E aqui percebemos algo bem curioso, embora não totalmente inesperado.

Vejam no gráfico abaixo que os mais velhos (principalmente homens), apesar de serem minoria nas visitas do blog, são as pessoas que despendem mais tempo na leitura dos artigos (cerca de 3 minutos e meio), enquanto os mais jovens, gastam menos da metade desse tempo (menos de 1 minuto e meio). Ou seja, em outros momentos desse blog já expressei meu pessimismo para o país em função da falta de hábito de leitura dos jovens. E as estatísticas do blog apenas refletem essa verdade. Mas para um blogueiro profissional (não é o meu caso), isso poderia gerar dúvidas. Escrevo para uma faixa etária que mais visita meu blog, ou para os idosos que passam a maior parte do tempo lendo os artigos?

Veja alguns números, estatísticas e novos recordes do blog Viagem Lenta. E minhas dúvidas em como lidar com alguns aspectos do blog.


Em tempo, esclareço que essa média de tempo é menor que os tempos médios de leitura das páginas no quadro anterior porque, nesse caso, é uma média de todo o blog, considerando inclusive a página inicial (que, em geral é acessada rapidamente como um meio para alcançar os demais artigos). Vocês, blogueiros, têm ideia de como é o perfil de seus visitantes?

Por fim, a lista de assinantes do MailChimp


Para finalizar a postagem, comento sobre a construção de uma lista de assinantes que iniciei há pouco mais de um ano nesse blog. Para gerenciamento dessa lista e dos e-mails enviados, escolhi o serviço do MailChimp, o qual considero muito satisfatório. Confesso que ainda não o explorei totalmente, mas pretendo fazer isso com mais intensidade a partir dessa semana.

Como de praxe, não entrarei em detalhes sobre o serviço, mas deixarei uma excelente referência que usei para aprender sobre a ferramenta: Tutorial MailChimp do site Aceleração Digital.

Além de insistir para que as pessoas abandonem o acompanhamento das postagens de qualquer blog por redes sociais e usem seu e-mail como receptor de conteúdo (ou o Feedly), existe um alerta importante: colocar o e-mail do blog na sua lista de remetentes confiáveis.

Esse passo é importante porque muitos e-mails gerados por esses serviços de entrega acabam na caixa de spam ou classificados em abas como "Promoções" ou coisas semelhantes, não indo, de fato, na caixa principal dos leitores. E isso faz com que a taxa de abertura dos e-mails seja, em geral, baixa (valores acima de 30% já são muito positivos). Mesmo considerando esse percentual, o engajamento de leitores via lista de e-mail ainda é muito maior do que em outros serviços.

Veja alguns números, estatísticas e novos recordes do blog Viagem Lenta. E minhas dúvidas em como lidar com alguns aspectos do blog.
O blogueiro que usa o serviço precisa gerenciar muito bem o ponto de equilíbrio na frequência de envios de e-mails de forma que possa transmitir conteúdo útil sem cansar o assinante. Por enquanto, estou mantendo a média de um e-mail semanal, com vias de aumentar para dois. Será que é muito? Penso em fazer ainda uma pesquisa para conhecer mais os assinantes do blog e saber quais assuntos gostariam de ver mais nesse espaço.

A lista de assinantes, que iniciou com um número pífio de 33 assinantes do antigo serviço Feedburner que existia no blog, aumentou para mais de 1.000 na semana passada. E continua crescendo a uma razão de quase 100 novos assinantes por mês. Como possuo um limite de 2.000 cadastros no plano gratuito do MailChimp, isso significa que logo precisarei começar a fazer um expurgo forçado dos usuários menos assíduos... Se você é um assinante,  insisto em colocar o e-mail andreazevedo@viagemlenta.com como um contato confiável no seu gerenciador de e-mail, caso ainda não tenha feito. Isso garantirá o recebimento dos e-mails e a manutenção de sua assinatura.

Eu não vejo muitos blogueiros de nossa Finansfera utilizar um serviço personalizado de lista de e-mail. Não me refiro a assinaturas simples por e-mail que enviam automaticamente novas postagens, como o Feedburner, mas algo mais elaborado como o MailChimp, onde você pode realizar uma aproximação maior com seus leitores. Sei que esse serviço é mais voltado a e-commerce, mas será que não seria uma vantagem para conhecer melhor nosso público? O que pensam disso?

Palavra final


Não mencionei nesse texto o Adsense. Para quem não conhece, é o serviço responsável pelas propagandas que você vê no site, caso não use um bloqueador.

Nos últimos meses, tenho procurado aprender mais sobre o assunto e ver se há alguma possibilidade de monetização desse espaço. A ideia não é exatamente "ganhar dinheiro", mas sentir-se de alguma forma recompensado em dividir com o mundo, opiniões que, percebo pelos comentários, são particularmente úteis para nossa vida.

Apesar de não colocar propagandas invasivas como muitos sites o fazem (como por exemplo, encobrindo o texto da postagem ou adicionando pop-ups na entrada ou saída da página), às vezes me sinto um pouco desconfortável por não possuir um site mais "limpo". Mas a ausência de uma remuneração, mesmo que pequena, acaba ao final refletindo, inconscientemente, em uma menor frequência de postagens. A dúvida, entretanto, permanece: monetizar ou não monetizar?

Na pesquisa que planejo fazer com os assinantes do blog, pretendo colocar essa questão para descobrir suas opiniões. Mas, no momento, se quiserem adiantá-las aqui, seja sobre os anúncios ou sobre qualquer assunto desse texto, elas serão muito bem-vindas!


* * * * * * * * * *

Se você ainda não viu, criei recentemente uma página para agregar os artigos que fornecem gratuitamente planilhas financeiras para download. Virão outras adiante.

* * * * * * * * * *

Para receber atualizações de forma exclusiva e gratuita desse blog, clique no link abaixo:



* * * * * * * * * *

Gostou do artigo? Gostaria de dividi-lo com alguém? Compartilhe-o!

Comentários