Livros em oferta

O adeus ao cartão Infinite, às "milhas aéreas" e a opção ao Nubank

Compensa manter um cartão de crédito VISA Infinite por causa do programa de milhas aéreas? Ou podemos simplesmente economizar e ter um Nubank?

Compensa manter um cartão de crédito por causa do programa de milhas aéreas? 

Uma análise do que se vê e do que não se vê na utilização de um cartão Visa Infinite com um excelente programa de conversão de pontos e a alternativa de um cartão com anuidade gratuita, como o Nubank.


Há uns oito ou nove anos - salvo um engano temporal, o Bradesco ofereceu-me a troca de meu cartão de crédito Visa Platinum para o cartão Visa Infinite. Com meu cartão Platinum eu possuía isenção de anuidade, em virtude de investimentos que eu detinha no banco. Uma vez que não faço muita questão de tais grifes, aceitei com a condição de que esse privilégio - de não pagar tarifas, fosse mantido.

Dois anos atrás, porém, o acordo foi quebrado. Desde então, estou usando unicamente o cartão Nubank, oferecido na época ainda na sua versão Platinum e não me arrependo da minha decisão de dois anos atrás. Esse texto é reflexão da real necessidade de possuir um cartão de crédito que oferece milhas aéreas (e o meu Infinite oferecia uma excelente conversão) ou um cartão mais simples, sem anuidade e que oferece liberdade para que você escolha a forma melhor de pagar seus consumos.

No momento do fim do relacionamento, não critiquei, não reivindiquei e muito menos lamentei com a atendente. Não existia nada no contrato que tal isenção seria vitalícia. A administradora estava em seu direito de anualmente, modificar as condições do acordo. Assim como eu possuía o direito de manter o contrato pagando uma anuidade atual de R$ 910,00, ou desfazer, por minha iniciativa, a parceria. Escolhi assim cancelar o cartão de crédito, apesar de a decisão, em função dos benefícios que o cartão me oferecia, não fosse tão óbvia. E nesse artigo, vou explicar o porquê.


Desfazendo o mito do status de um cartão de crédito Infinite


Possui por todos esses anos um cartão Visa Infinite, símbolo máximo de status financeiro, e, segundo o site do Bradesco, "o mundo sempre esteve ao meu alcance". Afinal, ainda segundo o site, eu sou uma pessoa diferenciada e exigente, e preciso de um cartão sofisticado e exclusivo.

Porém o leitor sabe quando eu fui tratado de forma exclusiva em algum lugar por causa de um cartão de crédito? Se não me falha a memória, nunca. Jamais obtive favores diferenciados por quem quer que seja. O único benefício que eu lembre de ter usufruído do cartão - e isso já estava em contrato, é a utilização de dois meses de seguro de viagem na minha última viagem à Europa e à Ásia

Na verdade, nunca pensei ou esperei um tratamento diferenciado, mesmo porque eu aceitei a oferta do banco apenas se eu mantivesse a isenção da anuidade. Esperar possuir status não deveria ser, inclusive, o objetivo de ninguém.

Existem pessoas que acreditam que um mundo abre-se a você por possuir uma insígnia em um pedaço de plástico. Não. Isso é tática puramente comercial, utilizada apenas para vender a vergonha. E isso pode prejudicar muito a busca de sua independência financeira.

Para mais detalhes sobre como a vergonha pode prejudicar seus planejamentos financeiros e ser um impedimento para alcançar suas metas, veja o artigo desse blog "Quando a vergonha ofusca o real prazer e lesa sua independência financeira".

Assim, não almeje adquirir tais rótulos dados por terceiros em troca de seu dinheiro. Não é um relacionamento salutar. Seja apenas autêntico, honesto, sensato e polido. Isso já é mais do que suficiente para ter acesso e ser bem atendido nos 29 milhões de estabelecimentos no mundo.


As vendas casadas do banco e de seu cartão de crédito


É claro que não era por acaso que me mantive isento de anuidade nesses anos. Não possuía algum privilégio dentro do Bradesco. Ocorria na verdade uma checagem regular, pela administradora do cartão, de meus investimentos no banco, com um posterior cancelamento da tarifa anual em virtude de seu montante.

Porém, eu já vinha regularmente retirando valores investidos em bancos e transferindo para corretoras de valores, uma vez que estas cobram taxas muito menores para todos os tipos de investimentos. Mas eu ainda resistia em manter no Bradesco uma pequena parte da minha carteira de investimentos, suficiente para manter esse meu privilégio.

Para você que procura um excelente método de investimento, sugiro a alocação de ativos, que utilizo há anos. Escrevi recentemente, com detalhes, como você pode montar uma carteira de investimentos facilmente com pouco dinheiro.

Tal pensamento - manter investimentos em bancos, pode criar internamente uma grande resistência em procurar novas alternativas de investimentos. É como um menu ausente no restaurante. Existem opções, mas não temos conhecimento de que elas existem. A zona de conforto é realmente algo que nos impede de crescer e procurar novas alternativas.

A mensagem que ressoa é que necessitamos aproveitar as vantagens do cartão, a anuidade (então) gratuita e depois resgatar os pontos e partir para a galera. Mas quando você simplesmente aceita essa venda casada, o quanto você perde mensalmente mantendo seus investimentos em um banco? Já fez as contas?

No artigo que explico a forma que invisto em dólar, dedico uma boa parte do texto para explicar as razões para fugir dos fundos bancários. Os fundamentos são os mesmos para fundos DI, Multimercado e demais. Indo direto ao ponto: fuja dos fundos dos grandes bancos.


Mas não compensa pagar a anuidade pelo programa de fidelidade em milhas de companhias aéreas?


Falo agora para à imensa maioria das pessoas que não viajam regularmente de avião. Não para a maioria que viaja regularmente a trabalho ou são viajantes profissionais de lazer. Para tais pessoas, onde tempo é extremamente escasso e carecem de flexibilidade, possivelmente um cartão Infinite, seja Visa ou Mastercard, pode ajudar (desde que seus gastos com o cartão sejam expressivos, claro).

Afinal o cartão dá até 2 pontos no programa fidelidade por dólar gasto (se não me engano, já foi melhor antes) para quem gasta mais de R$ 9000,00 por mês no cartão.

Mas se o leitor for uma pessoa contida como eu e não vê possibilidades de possuir esse gasto médio mensal com apenas um cartão de crédito, terá que se contentar com uma taxa de 1,8 pontos. O que não é de todo ruim, convenhamos.

Na verdade a conta que deve ser feita deve partir da estimativa dos gastos mensais com o cartão de crédito. Usando como parâmetro essa taxa de conversão e um dólar a R$ 3,50, o acúmulo de pontos em milhagem anuais equivale a uma razão média de 30.000 pontos para um gasto mensal de R$ 5000,00.

Gastos mensais de R$ 2500,00, por exemplo, dariam direito a 15.000 pontos por ano, equivalente a uma passagem aérea e meia por ano, desconsiderando ofertas especiais das companhias. 

Assim, quando mais se gasta com o cartão, mais seria vantajoso pagar a anuidade para receber essa pontuação, e o usuário deve trazer para a sua realidade se vale a pena submeter-se à tal tarifa de anuidade ou não.

Atente-se ainda que será necessária constante atenção para não perder a validade de pontos tanto na administradora do cartão de crédito, quanto no programa de milhagens da companhia aérea. Para pessoas que não viajam com tanta frequência, a angústia desse controle pode ser dolorosa.

Mas antes de decidir, temos que considerar duas coisas importantíssimas: o custo de oportunidade, visto sob a ótica da demanda e da oferta. Em geral, ambas considerações estão lado a lado das coisas que não se veem, como diria o filósofo liberal Frédéric Bastiat. E elas são importantíssimas para a correta tomada de decisão.


O custo de oportunidade sob a ótica de demanda


Quais são as mercadorias que mais demandamos? Para as pessoas que gastam basicamente com produtos que oferecem baixa probabilidade de redução de pagamento à vista (por exemplo, serviços de restaurantes), não há grande diferença em pagar com um cartão de crédito ou com cartão de débito: os valores mudarão muito pouco.

Porém, em quase todos os demais tipos de gastos, pagar com cartão de débito ou à vista reflete-se em uma economia de cerca de 10%. Procurem por grandes portais de compras na internet e percebam que a opção de pagamento com boleto bancário sempre é mais vantajosa. A mesma consideração vale para lojas de roupas, calçados, etc, localizadas nas ruas ou nos shopping centers para pagamentos em dinheiro.

Agora, vamos responder com sinceridade: o que acontece em geral quando temos um cartão de crédito com programa de milhagens? Tendemos a pagar sempre com o cartão de crédito para acumularmos mais pontos, não é mesmo?  E pagamos, assim, quase sempre mais caro! E essa atitude, que parecia ser uma vantagem, pode ser prejudicial para o nosso bolso. Lembre-se que com menos dinheiro no bolso, mais distante estará sua independência financeira e a possibilidade de possuir tempo disponível para realizar todas suas viagens.

Vamos voltar ao exemplo anterior e imaginar que ao menos 70% dos gastos da fatura do cartão de crédito poderiam ter sido pagos com um desconto médio de 8%. Para o bem aventurado que mantém uma faixa de gastos de R$ 60.000,00 por ano, isso resultaria em uma economia de R$ 3.360,00.

Vejam que esse valor já equivale ao valor de quatro, seis ou até mais passagens aéreas em território nacional, dependendo da distância entre as cidades. Se considerarmos o adicionalmente o fluxo negativo de R$910,00 em anuidade, caberia com folga uma passagem aérea a mais.

Acumulando milhas em um cartão super hiper top, ele conseguirá com esses gastos um total de apenas 30.000 milhas, considerando o câmbio do dólar a R$3,50 e uma conversão de 1,8 pontos para cada dólar gasto.  Será que ele conseguiria comprar mais de seis passagens aéreas com essa milhagem? Ou seja, será que ainda vale a pena?

Vamos, caros leitores, acrescentar mais um ponto?E se adicionalmente considerarmos que, comprando as passagens diretamente, o viajante estará pontuando automaticamente no programa de milhagens, enquanto que, utilizando seus bônus, não se gerarão novos pontos? Ele ganharia mais pontos comprando suas passagens normalmente, o que se reverteria no futuro em passagens, de fato, gratuitas.

Parece que aqui, analisando o que não se vê, o negócio começa a virar contra o cartão de crédito e seus programas de milhagens. Pois é, recomendo que você estude as ideias de Bastiat, na página linkada acima.


O custo de oportunidade sob a ótica da oferta


Nessa consideração, o leitor precisa considerar o que possuímos hoje como ofertas alternativas na gama de cartões de crédito com as bandeiras Visa e Mastercard, que são as mais aceitas pelo mundo. A realidade é que temos possibilidade de contratar cartões de crédito sem cobrança de taxas de anuidade, sem a cooptação de ficar utilizando-o regularmente ou manter valores altos em uma conta bancária (cujas tarifas muitas vezes são justificadas pela posse de um cartão de crédito).

Compensa manter um cartão de crédito VISA Infinite por causa do programa de milhas aéreas? Ou podemos simplesmente economizar e ter um Nubank?
Telas do app do Nubank: bonito e funcional

Algumas opções que eu tinha na época eram o cartão Saraiva e Petrobrás, que na verdade são cartões de crédito do Banco do Brasil que não exigem a abertura de conta-corrente no banco. Outra opção existente era o Santander Free, cuja exigência antiga era usá-lo uma vez por mês. Hoje eles já exigem um valor mínimo de fatura mensal de R$100,00 para manter a anuidade gratuita. E a outra opção de então, foi a opção escolhida, o cartão Nubank.

A start-up digital Nubank é uma aposta na desburocratização. Totalmente baseada na internet e na gestão do cartão por um aplicativo no smartphone, oferece um cartão Mastercard sem taxas de anuidade e com uma cobrança de juros bem mais baixa do que o mercado (embora devemos sempre ficar longe, obviamente, desse tipo de recurso).

No início do processo, quando adquiri o meu cartão, a Nubank oferecia o Mastercard Platinum, que possui excelentes benefícios para o associado. Em função, entretanto, da alta procura e do pouco uso que os associados faziam desse benefício, ela está fornecendo atualmente apenas Mastercard Gold.

A fila de espera já chegou a possuir mais de 1 milhão de interessados e nem todos conseguem a aprovação. Os critérios da empresa para aprovação são muitos questionados em grupos de discussão pela internet. Muitas pessoas reclamam de conseguir cartões em outras empresas e não no Nubank. No meu caso, entretanto, fui surpreendido em menos de 24 horas com sua aprovação. E o cartão chegou 4 dias úteis depois.

A gestão dos gastos é feita pelo próprio aplicativo (assim como a alteração do limite, bloqueios e chats), o que coloca o usuário sob controle total de seu consumo. O usuário possui uma sensação de protagonismo e não de completa subserviência em relação à administradora de seu cartão de crédito. Você, que possui um cartão de crédito tradicional e que já tentou falar no atendimento, deve saber do que estou falando.

Compensa manter um cartão de crédito VISA Infinite por causa do programa de milhas aéreas? Ou podemos simplesmente economizar e ter um Nubank?
Cartão no Banco Inter: uma boa opção
Posteriormente, surgiram outras opções de concorrência ao Nubank: o Digio, com bandeira Visa e emitido pelo banco CBSS. A proposta é praticamente idêntica ao Nubank, com a diferença que eles prometem ser mais rápidos na análise de crédito e no envio do cartão de crédito. Se você quiser uma comparação mais detalhada desses dois cartões, veja esse post do colega Uó, que possui um excelente portal de finanças na web: Nubank ou Digio: qual é o melhor?.

Em Agosto de 2017, o Nubank passou a oferecer seu programa de recompensas, o Nubank Rewards. Mas como todo libertário sabe, não existe almoço grátis: para aderir ao programa, é preciso aceitar uma anuidade de R$ 190,00. Novamente instigo aos leitores a pensar se vale a pena entrar no programa, pois você sempre poderá manter seu Nubank gratuito sem ter direito ao programa de pontos. Para mim, continua valendo a pena não aderir. Uma adesão significaria novamente à perda da liberdade em realizar compras mais baratas com cartão de débito ou dinheiro. Vejam mais detalhes nesse link sobre o Nubank Rewards.

Para completar as alternativas, uma outra opção a um cartão de crédito gratuito é ser cliente do Banco Inter, antigo Banco Intermedium. Eu também expliquei a minha história pessoal de mudança de banco (do Bradesco para o Inter) e todas as vantagens que vieram em conjunto. Se você não tem ainda o Nubank, considere com carinho essa alternativa. O banco é muito bom e o cartão de crédito é totalmente sem anuidade. Leia detalhes nesse artigo: Porque abri uma conta no Banco Intermedium e deixei de usar o Bradesco.


Conclusão - compensa pagar anuidade pelo programa de milhagens?


A decisão de pagar tarifa de cartão de crédito deve ser baseada nas conveniências de cada um. Ser beneficiário de um bom programa de milhagens é um fator a ser considerado. Mas os leitores necessitam refletir também nos fatos que não são tão visíveis. Lembre-se de Bastiat.

A anuidade compensa os pontos que você está resgatando? O quanto de descontos à vista você tem negligenciado para "usar" o seu cartão de crédito e receber suas milhas? Você precisa manter investimentos ou produtos no banco para ter o benefício de anuidade grátis? Ou paga, sem reclamar, a anuidade sem ter bons benefícios?

Pessoalmente, eu pensava pouco nisso até então, pois eu era isento do valor da anuidade. A partir do momento que vi que eles cortariam meu benefício, eu saí, involuntariamente no início, da zona de conforto. E vi-me pensando um pouco além da caixinha.

Hoje eu agradeço ao Visa Infinite por ter aberto minha cabeça. Sem obrigações de usar toda hora o cartão, sem obrigações de manter saldos mínimos no banco e sem precisar mais lidar com burocracias via telefone, a vida fica mais produtiva e simples. Além de tudo isso, com economia. Tais descobertas evidenciam a liberdade que devemos possuir em cada ação que praticamos.

* * * * *

Se você deseja um franco bate-papo sobre orçamento e fluxo de caixa e quer conhecer a planilha que eu uso para controlá-los há tempos, veja esse artigo: O essencial do orçamento e do fluxo de caixa. E uma planilha de brinde ao final.

Ou, se você acha que já chegou em sua independência financeira, confira essa calculadora e tenha certeza disso: Como saber se você chegou à independência financeira. Matematicamente.

Veja mais arquivos sobre investimentos nessa página.

* * * * *

Para receber atualizações de forma exclusiva e gratuita desse blog, clique no botão abaixo:



* * * * *

Gostou desse artigo? Por que não dividi-lo com seus amigos através dos ícones de compartilhamento logo abaixo?

Comentários

  1. Muito bom o post, eu tive um cartão Bradesco Platinum durante uns anos, mas todo ano tinha que ligar lá para pedir o estorno das anuidades. Depois que meu saldo no banco caiu para 10.000 não teve mais com estornar. Hoje tenho os cartões da Petrobras, Santander e Porto Seguro, não pago anuidade, e me atendem bem.
    Abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Foi mais ou menos o que aconteceu comigo Uó. Mas eu continuo fundamentado em ter somente um cartão de crédito. Deixa a vida mais simples :)
      Abraço!

      Excluir
    2. Peguei mais de um por causa do limite, mas geralmente uso só um mesmo.
      Abraço!

      Excluir
  2. Sabem dizer qual o ágio médio do dólar cobrado para compras internacionais no Nubank?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fabiano, eles usam a PTAX do Banco Central com spread de 4%. Considere também o IOF, famigerado imposto federal obrigatório a todos os cartões.

      Excluir
    2. Os cartões de crédito tradicionais também cobram essa taxa ?

      Excluir
    3. Yep! Normalmente são maiores.

      Excluir
  3. Você foi muito feliz na abordagem que fez sobre o tema em pauta. Parabéns pelo texto e por sua lucidez!

    ResponderExcluir
  4. Você foi muito feliz na abordagem que fez sobre o tema em pauta. Parabéns pelo texto e por sua lucidez!

    ResponderExcluir
  5. Muito bom texto. Sempre tratei a conta sem levar em conta os 10%. Hoje a noite é dia de fazer contas.

    ResponderExcluir
  6. Cara, parabéns!

    ResponderExcluir
  7. Oswaldo Müller23 outubro, 2015

    Concordo com o ponto de vista. Mas deve ser agregado ao artigo outras possíveis vantagens que o cartão pode oferecer, tais como seguro viagem e seguro de automóvel locado. Havendo isenção da anuidade, ter um cartão com milhas e essas vantagens, fazendo uma viagem ao exterior por 15/20 dias ao ano, terá uma bela economia. Por cabeça um seguro viagem gira em torno de R$ 250,00/300,00 e o do carro, na faixa de R$ 20,00/dia. Essa economia pode fazer frente aos descontos de pagamento à vista, dependendo do perfil do usuário. Agora, tal como relatado, também fiz o cartão NuBank e estou aguardando a entrega do mesmo. Creio que esse tipo de operadora poderá ensejar mudanças no mercado a médio prazo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oswaldo, é verdade. Deve-se avaliar com cuidado. O foco maior do artigo foi, de fato, nas milhagens. Repare que o cartão Mastercard Platinum, do Nubank, também lhe dá seguro-viagem e seguro em aluguel de carros, como o Infinite. A única diferença é que o seguro-viagem do Infinite é de dois meses, e o do Nubank é de um mês. Mas nesse ponto, são bem equivalentes!
      Abraço!

      Excluir
  8. Cartão bom é cartão com beneficios e sem anuidade. Hoje é muito dificil conseguir desconto, exceto online, para pagamento no cartão de crédito ou débito. O desconto mesmo vem no pagamento em dinheiro. Mas em Belo Horizonte estão tentando aprovar uma lei que proibe preço diferenciado para pagamento em cartão ou dinheiro ou cheque, qualquer forma aceita deverá ter o mesmo preço, o que na prática já se sabe... aumento do preço e quem pagar no dinheiro esta sendo prejudicado.

    Tenho 1 cartão da Azul, acho muito válido pelo seguinte aspecto, tem o beneficio do transfer para aeroporto, são 8 ao longo de 1 ano, a anuidade é de R$480, mas em compensação o táxi de BH a Confins custa R$120 reais ou seja, eu paguei a anuidade e converti num transfer mais barato... além das vantagens de upgrade de categoria e beneficios da companhia.

    Acho que a idéia do cartão é justamente, verificar se o preço da anuidade é justo. Se conseguir isenção, melhor ainda.. mas anuidades absurdas por status devem ser evitadas, justamente como você muito bem pontuou André, o "muito bem recebida..." é ser recebido como mais um cliente que está pagando....

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é colega. É o governo sempre fazendo de tudo para atrapalhar...

      Concordo contigo. Temos que avaliar se compensa ou não. Para você, parece claro que utiliza os benefícios de uma forma que vale a pena o pagamento da anuidade. O problema é que a maioria das pessoas não consegue fazer simples contas de adição e subtração. Quanto mais avaliar ganhos percentuais...

      Abraço.

      Excluir
  9. Parabéns pelo tópico. Tenho Mastercard Black, isento por movimentação bancária, mas tenho usado Nubank, o que acho excelente. Porém, por não ter que comprovar nada, meu limite encontra-se um pouco baixo para utilizá-lo, por exemplo, numa viagem internacional com esse dólar na lua. E vale também, se alguém o tiver, o relato da experiência do uso dos seguros providos pelo Mastercard Plantinum (Nubank), se é muito burocrático, se o barato não sai caro, etc.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. R. Cordeiro, eu estou sistematicamente pedindo aumentos de limite no Nubank e até agora eles não me tem negado. Ainda é muito inferior ao que eu tinha com o Infinite, mas quem sabe chego lá :). Na verdade, nem tenho precisado tanto, pois estou usando muito o débito para descontos à vista, mas é uma segurança a mais sim.

      Não usei ainda os seguros dele. Vale a pesquisa sim!

      Abraço.

      Excluir
  10. Achei muito interessante sua análise, mas estranhei os 70% que poderiam ter desconto à vista.

    Claro que isso depende do perfil de cada um, mas 70% não é muito? Como você estimou esse valor? Em compras online (submario, americanas, etc) eu sempre vejo essa possibilidade, mas em que outras situações isso é possível?

    No meu caso, por exemplo, a maioria dos gastos é supermercado, restaurante e gasolina. Será que nesses casos eu conseguiria desconto a vista? Supermercado e posto acredito que não; restaurante talvez, apesar de eu nunca ter visto um que ofertasse isso.

    Entendo que basta eu ajustar as contas pra minha realidade pra ver se vale a pena, mas pergunto porque talvez esses descontos a vista sejam mais comuns do que eu imagino.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá! Sim, isso vai depender do perfil de gastos no seu cartão. Gasolina vc tem toda razão. Eu gasto bem pouco com gasolina, entretanto. Restaurantes, alguns aceitam um desconto no débito sim. Supermercados propriamente ditos, não. Mas eu, por exemplo, tenho comprado muito em atacados, que aceitam apenas débito. Sai uma boa economia daí!

      Abraço!

      Excluir
  11. Belíssimo post! Tenho um Black Mastercad, utilizava muito por causa de milhagens, pontuação 2,3, e 360 reais de anuidade. Teoricamente um ótimo negócio. Mas como viajo poucas vezes no ano não achei que estava valendo a pena, e com cartão você acaba gastando mais. Só utilizo o débito hoje por causa dos descontos, e peguei o cartão Nubank. Em menos de uma semana já estava com o cartão em casa. E para mim é ótimo o limite baixo, pois só utilizo para gastos em que realmente vale a pena o crédito. Cada um tem que ver a seu caso e optar pela mais vantajosa.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Exatamente! O livre arbítrio precedido de uma decisão racional é sempre bem vindo!

      Obrigado!

      Excluir
  12. Excelente o post. Em relação ao spread de 4% do dollar do cartão Nubank, não seria um aspecto negativo que o tornasse não viável? Quais os benefícios ele oferece em compensação. Outras operadoras também trabalham com essa taxa?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado Raillander.

      Olha, qdo eu fiz minha última viagem para o exterior, o spread do Bradesco Infinite era de quase 10% rsrs. 4% é razoável, mas não sei te dizer hoje qual o valor de outras administradoras. Precisa consultar uma a uma.

      Excluir
    2. 4% de spread eu diria que é a média. Porém, CAIXA e BB tem dólar bem mais em conta, mto próximos da cotação comercial. Pra quem utiliza muito cartão em viagens internacionais (o que tá complicado com IOF de 6,38%) é um fator a se considerar.

      Excluir
  13. André, muito bom o artigo. Enfim, hoje tenho um cartão ativo do santander flex. Não tenho renda muito alta, meu limite é aproximadamente 2.100 reais, acha que vale a pena trocar pelo nubank? Pergunto isso porque um parente meu recebeu o convite para ter um ele me disse que podia me convidar também a partir daí.

    Abs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Tiago.

      Eu tenho gostado da experiência com o Nubank. Além da ausência de anuidade, o atendimento é excelente e a possibilidade de você controlar muitas coisas via app coloca você em uma posição ativa. Totalmente diferente de um cartão de crédito tradicional. Eu acho que vale a experiência sim. Mas claro, isso depende de cada pessoa, do seu relacionamento atual com seu cartão, etc.

      Abraço.

      Excluir
    2. Segue a página deles no Facebook que vc vai sentir o clima da Nubank.

      Excluir
  14. Estou a quase um ano utilizando o nubank, realmente é incrível a facilidade de interação com a empresa e gestionar os gastos. A rumores que irão inserir o benefício de pontos, apesar de já oferecer os pontos surpreenda da mastercard.

    ResponderExcluir
  15. Melhor post sobre Cartão de Crédito e pontos do cartão que vi até hoje, é exatamente o que passei a fazer há alguns anos, é claro há meses já sou cliente da Nubank.

    ResponderExcluir
  16. Esqueceram de citar a possibilidade que o cartão de crédito te dar de comprar a prazo, a princípio "sem juros"...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vagner, não esqueci. Esse é uma das ilusões do cartão de crédito. Coloquei isso na ponta do lápis, com exemplos, de quanto você economiza se pagar de fato, à vista. Dá uma lidinha novamente.

      Excluir
  17. Agora o cartão Nubank é o Gold. Não é mais o Platinum :(
    Fonte: https://www.nubank.com.br/perguntas/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É verdade Anônimo! Segundo eles, os benefícios não eram muito utilizados e isso era um custo significativo para a empresa. Para quem conseguiu antes, porém, continua Platinum.

      Excluir
  18. Tenho o Visa Infinite a mais de 3 anos, e tenho apenas elogios. Estou pontuando 2.2 pontos por cada dólar gasto e nunca paguei anuidade. Tenho mais 2 adicionais na família tbm com anuidade zero. Já utilizei por diversas vezes o seguro de garantia estendida (grátis), seguro proteção de compras (grátis), inclusive acidentes (grátis). Nunca precisei desembolsar nenhum centavo para aquisição de seguros, inclusive viagem, pois é o cartão que oferece a maior gama de seguros e todos gratuitos. Óbvio, se tivesse que pagar o valor integral da anuidade, tentaria negociar mas com o meu perfil atual junto ao banco, tenho isenção já nesses quase 4 anos e alto limite de crédito. Hoje tbm tenho um Nubank, fui convidado e aceitei apenas para testar a plataforma, e adorei por sinal, particularmente por causa do app no smartphone, mas vale lembrar que com o Visa Infinite tenho atendimento Bradesco Prime através do SAC. Enfim, acho que o Nubank veio dar uma chacoalhada nesse mercado, o Itaú já correu para lançar seu app com base no Nubank, esperemos então os outros bancos aderirem a nova modalidade de controle e visualização dos gastos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É isso! O melhor dos mundos é um mercado livre com concorrência plena onde o consumidor escolhe o produto que melhor lhe convier.

      Excluir
  19. Entendo sim a desvantagem em pagar anuidade num cartão, sendo que existem opções gratuitas, assim como fazer investimento em bancos sendo que temos corretoras que nem taxas cobram para Tesouro Direto,por exemplo. Mas não consegui ver a vantagem de não ter as milhas. Para mim o Nubank ainda não substitui meu cartão Black justamente por conta das milhas e pelo texto exposto realmente não percebi o benefício de não tê-las.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Leo, expus que cada um tem de analisar o seu uso de milhas e o quanto vc deixa de economizar para usar o cartão e pagar anuidades. Se o seu balanço é positivo (o que é plenamente possível, mas vc precisaria analisar seriamente todas as considerações que escrevi na postagem), vc tem de mantê-lo mesmo.

      Eu recebo atualizações de promoções de passagens aéreas. Tem muito destino no Brasil sendo vendido a menos de R$200,00 a ida e volta e tem até passagens para os USA a menos de R$1000,00 a ida e volta. Esse é um dos pontos críticos que pouca gente analisa...

      Abraço.

      Excluir
  20. Passei pelo mesmo problema, tinha uma conta Bradesco Exclusive e um cartão Visa Platinum, porém tinha o perfil do Bradesco Prime e do Visa Infinite Bradesco Prime, o banco me convidou para o upgrade e isenção de tarifas.
    Porém este ano mudou tudo.
    Tinha gasto médio mensal de R$ 5.000,00 (pois pago muita coisa à vista com desconto) que dá a apenas direito a 25% de desconto na anuidade.
    Nunca precisei pagar por cartão de crédito, porém este ano os bancos estão irredutíveis quanto a isenção de anuidade. Tentei de todas as formas manter o cartão com a isenção mas não foi possível.
    Adquiri um Nubank, estou muito contente com a plataforma que é muito simples e objetiva.
    Portanto fiz todas as contas e cheguei na conclusão do seu post, é uma falsa sensação de Status e poder (que custa caro).

    Abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Perfeito Rodrigo! A melhor sensação é não ficar refém do cartão, pois eu inconscientemente ficava tentado a pagar tudo por "crédito" para fazer volume, ganhar milhas e não ser cortado dos beneficiários da anuidade zero.

      Hoje peço descontos sem culpa, pago no débito quando compensa (vou inclusive em atacados que só aceitam débito), fazendo economia e ficando com a mente sem culpas :)

      Abraços!

      Excluir
  21. Parabens pelo texto, se todos pensássemos como vc o mercado seria diferente

    ResponderExcluir
  22. Atualmente tenho um Mastercard Internacional da Credicard, com limite de R$5.000,00. Na semana passada recebi uma ligação da operadora informando que recebi um "upgrade", e que eu iria receber um Mastercard Gold, com limite de R$7.500,00. No entanto, a anuidade ficará com o mesmo valor (cerca de R$75,00 [3xR$25,00]).

    Será que compensa eu pedir um Nubank?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Jesiel, vc precisa analisar de compensa continuar pagando esses 75,00 anuais. O valor não é alto, mas no Nubank vc não paga nada e possui os mesmos benefícios de cartão, exceto o limite, que começa, em geral, um pouco mais baixo. Se vc faz o uso desse limite, então não compensaria.

      Uma sugestão é pedir o Nubank, ficar com os dois por um tempo e quando o limite dele chegar no mesmo nível do seu, daí vc cancela. A experiência do Nubank é muito legal.

      Abraço.

      Excluir
  23. Artigo super bacana, faz pensar muito sobre as vantagens e desvantagens de ter um cartão com programa de milhagem.

    Como já abordado por você, as varias são muitas e penso que a análise deve ser feita caso a caso.

    Alguém que viaje muito e cujo cartão permita acesso às salas VIP provavelmente não "ficará muito feliz" com o Nubank, mesmo que não pague anuidade.

    Quando do lançamento do Nubank algo que atraiu muito clientes inicialmente foi a praticidade de fazer "tudo" pelo iPhone.

    Acontece que a concorrência não deixou por menos, o OuroCard do Banco do Brasil lançou um aplicativo super bacana para iPhone, veja http://wp.me/p4TbAC-Ff

    Ah! E o apelo por milhas é tão forte entre os usuários de cartão de crédito que o Nubank não para de falar que implementará um programa de milhagem. Por enquanto apenas fala, nada de implantar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é Jack! O mercado é dinâmico e as empresas devem ficar atentas às demandas! Obrigado pela contribuição!

      Excluir
    2. Eu sou contra programas de milha. Banco compra essas milhas e repassa o valor na taxa de juros, tarifas, etc. Para mim, o que faz falta é o pague contas no cartão.

      Excluir
    3. Eu sou contra programas de milha. Banco compra essas milhas e repassa o valor na taxa de juros, tarifas, etc. Para mim, o que faz falta é o pague contas no cartão.

      Excluir
  24. Excelente artigo, André. Penso como você. Tem que ver o custo/benefício. Mas como viajo de 2 a 4 ou 5 vezes por ano, sinto o conforto das salas VIP (principalmente se for uma viagem internacional, que faço a cada 3 anos, na média). Então cada um tem que pesar o que lhe é interessante. Mas obrigado pela dica do NUBANK. Vou pedir. Abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É isso aí Robson! A análise de cada um é fundamental, desde que feita através de bases racionais. Abraço!

      Excluir
  25. Cai aqui pesquisando sobre o nubank. Fiz o meu e estou em processo de cancelamento dos cartões que tenho hoje. Tenho limites razoáveis nestes cartões, mas nem gasto tanto hoje em dia porque os gastos maiores eram da reforma de um apartamento, que graças ao bom Deus terminoum e agora entrei na fase de quitar as dívidas. Além disso, os limites para transferência dos pontos para milhas acoplados com o valor do dolar inviabilizam o uso dos cartões "tradicionais".

    Tem muita gente reclamando que o Nubank não tem programa de milhas. Espero que continue assim. Milhas não são de graça. Banco compra milhas das cias aéreas e esse custo vem pra gente na forma de juros, anuidades, tarifas maiores. Prefiro um juro menor do Nubank que programa de milha.

    ResponderExcluir
  26. Gostei da explicação André! Além de pagar a anuidade dos cartões, tem também a tarifa bancária mensal que só é isento quem tem aplicações razoáveis. Do contrário, no caso do Santander está 56,00 por mês.
    Um assalto a mão armada para quem faz todas as transações por netbanking
    Estou pensando seriamente em pesquisar outros bancos. Alguma dica?!
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Nina! Estou já meio adiantado nesse processo. Abri uma conta digital no Banco Intermedium. Nada é tarifado. Ainda tenho a conta no Bradesco apenas porque eles recebem os créditos do Google do Adsense. Não consegui fazer isso funcionar ainda no Intermedium, o que é até agora, minha única queixa.

      Mas não pago mais tarifa no Bradesco. Migrei para a conta digital. Eu acho que você não tem isso no Santander. Até onde sei, a migração é possível apenas para Bradesco, Itaú e Banco do Brasil. Mas preciso atualizar-me no assunto.

      Assim que resolver esse ponto dos créditos do Adsense, pretendo fazer um novo post contando sobre as vantagens de abandonar os bancos tradicionais.

      Bjus!

      Excluir
  27. Entendi André! Acho que vai ser difícil porque a Cabesp (meu plano de saúde do saudoso Banespa) é debitado em conta e não sei se o banco digital aceitaria. Ainda não li sobre, mas, pelo menos, vou ver se consigo que diminuam a tarifa bancária, até seu próximo post.
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu acho que vc pode escolher o banco que quer receber, não? E daí se for um daqueles, pode ser conta digital sim. Eles vão tentar ao máximo fazer vc desistir (pq isso significará no futuro o sumiço das agências e dos gerentes...), mas por lei vc consegue sim. Bjus.

      Excluir
  28. Excelente artigo.

    Na minha opinião, pontos negativos no Nubank:
    1. Não permite incluir cartões adicionais;
    2. Passou para a modalidade Gold, que não tem seguro viagem e afins, nem seguro aluguel de automóvel;
    3. Não tem a opção bandeira Visa;
    4. Não possui nenhum programa próprio de incentivo/fidelidade. MC Surpreenda é muito limitado;
    5. PTAX + 4% no exterior não é a menor taxa, ainda existem bancos que cobram menos;
    6. Limite de saque de apenas 5% do limite;
    7. Não possui outras opções de modalidade: Internacional, Platinum, Black, etc;
    8. Possui débito automático em apenas um banco (Santander);

    Analisando prós e contras, para quem não viaja com frequência, o cartão Nubank é uma ótima opção.
    Também o vejo como um cartão para quem está iniciando a vida financeira ou como um cartão de backup.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado pelo comentário. É exatamente isso: cada um precisa pensar sob suas demandas e checar se vale a pena ou não.

      Excluir
  29. Gostei muito do post. Concordo com as indagações! Eu estou com uma boa quantia no BB em uma LCA de 84%, rendimento ridículo.... eu tenho outros investimentos rendendo muito mais e como se diz no axiomas de zurique, não devemos ter lealdade a nenhum investimento, oq tiver pagando mais é pra lá que eu vou, não compensa deixar de ganhar 1000 por mês só por causa de um cartão com anuidade de 400... Eu já solicitei hoje o cartão do nubank.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

kindle

Leia também:

Liberdade e poder: os direitos naturais de John Locke revisitados

Porque abri uma conta no banco Inter e deixei de usar o Bradesco