Cartas a um eleitor petista (I): sobre ditadura e liberdade

Como entender as ideias de um eleitor que diz que aprecia a liberdade e repudia a ditadura, mas vota no PT, totalmente ao contrário de tais pensamentos?
Pátria grande: agora a Venezuela também apoia o MST

Como entender as ideias de um eleitor que diz que aprecia a liberdade, repudia a ditadura mas vota no PT, que não pratica tais pensamentos e valores?


Caro eleitor petista,

Tenho buscado compreender, conversando e observando comentários de pessoas que, como você, votaram no PT nessa última eleição, qual a ideia que vocês possuem sobre ditadura e liberdade. Muitos de vocês parecem repudiar totalmente qualquer forma de ditadura, como pode ser visto em comentários sobre a marcha, totalmente pacífica, que ocorreu em São Paulo no final de semana passado. O repúdio, a fissura e o medo de uma ditadura militar parecem ser tão intensos, que vocês determinaram o valor de uma manifestação contra a corrupção apenas a partir de protestos isolados de algumas pessoas, cujo pensamento não era o mesmo dos organizadores. Mas é certo que para a maioria de vocês, isso ocorre apenas para desmoralizar um movimento ampliando uma demanda minoritária para o todo. Isso não é honesto, pois seria facílimo de fazer o mesmo com vocês, votantes do PT. Afinal, toda a destruição causada por alguns movimentos "sociais" como o MST, apoiador do PT, são muito piores do que um protesto por uma demanda, por pior que esta seja. Assim como é no mínimo curioso que a grande maioria da população carcerária tenha votado em peso no partido. Seria justo aqui tomar a parte pelo todo?

Insisto, eleitor: onde está a ameaça da volta de uma ditadura num desejo democrático de manifestar-se contra o PT do poder? Onde está o autoritarismo da grande maioria dos quase 50% que votaram contra o governo que aí está, no momento em que o próprio líder dessa oposição discursou no senado e repudiou quaisquer tentações anti-democráticas ditas em seu nome e ao seu partido? Não existe tal demanda pela oposição de fato. Os grupelhos que pedem a intervenção militar são uma minoria ínfima dentro do bloco oposicionista liderado pelo PSDB e só existem porque partidos de direita foram eliminados pela ideologia da esquerda. Mais numerosos são os grupelhos que pedem o comunismo no país, infiltrados entre o bloco da situação, liderado pelo PT. Procure pelos programas e por declarações de políticos do PCO, PSOL, PCB e demais apoiadores do PT e avalie seus "desejos democráticos". Você perceberá que tais repúdios aos pedidos de intervenção militar, propagados por muitos de vocês são uma fraude, uma desonestidade intelectual amalgamada com uma indignação totalmente seletiva. Reveja seus argumentos e não seja hipócrita, eleitor.

Mas voltando ao assunto principal do artigo... Vi o seguinte pensamento de uma pessoa estudada e partícipe de seu grupo eleitoral, no Facebook: "Eu gostaria que as pessoas pensassem que a solução para uma democracia mal administrada, mal vivida, não é uma ditadura. A solução para os vícios não é a violência". Ora, mas quantos dentre os quase 50% pensam que é? Indiretamente, seja de forma ingênua ou não, tal pensamento coloca a oposição como uma representação da violência, pois não a explica. O impeachment legal é uma forma de violência? Muitos que leem tal mensagem podem pensar que sim. É o tipo de linguagem subliminar que supõe uma imparcialidade mas acoberta uma mensagem muito efetiva. Veja que é uma pessoa que se diz crítica ao governo atual mas vota no PT mesmo sendo contra uma suposta ditadura. Uma vez que tanto eu, você e ele aparentemente concordamos que uma ditadura é algo insano e ilegal, vamos prosseguir. Qual, entre o meu pensamento e o seu, é mais ilegalista?

Como entender as ideias de um eleitor que diz que aprecia a liberdade e repudia a ditadura, mas vota no PT, totalmente ao contrário de tais pensamentos?
Ações revolucionárias conjuntas
Em várias outras postagens nesse blog eu argumentei que o PT é um partido de aspirações ditatoriais. Mais do que isso, submete o Brasil a uma ideologia que transcende as fronteiras e age de forma sinistra nas relações com países como Cuba e Venezuela. Você chegou a assistir o discurso do presidente da Venezuela após as eleições, onde ele disse que a vitória do PT é essencial para suas ações revolucionárias no continente? Se você se interessar em ver o vídeo, tente me explicar a presença de vários militares brasileiros, aquelas pessoas que você tanto abomina. Isso não o estimula revisitar algumas de suas ideias? Veja que a presidente da Argentina também se manifestou sobre a vitória do PT dessa forma: "...um passo a mais rumo à consolidação da Pátria grande". Talvez você tenha visto também o convênio que o governo venezuelano assinou com o MST, reconhecido grupo social que não respeita a lei e as instituições. Veja, caro eleitor: não sou eu quem está inferindo algo: são eles próprios! Para não estender demais, não citarei a ilegalidade do financiamento do porto de Cuba e os militares cubanos infiltrados no programa Mais Médicos, ok? Mas você não acha que tudo isso aponta para uma perda de soberania do país? Uma busca de um controle que está além da democracia que você diz defender? Se você tivesse lido as Atas do Foro de São Paulo isso seria mais claro para você. Mas aposto que você não leu.

Provavelmente, como vi em um debate entre dois professores recentemente no Facebook, um possível questionamento seu é se vejo isso hoje no Brasil. Vejo sim. Mas antes de tudo, você precisa compreender que existe um processo entre a propagação das ideias e a real transformação da sociedade. Se você estudou Antonio Gramsci, entenderia que a chave para o domínio da sociedade não é um golpe, e sim uma Revolução Cultural, que tanto já comentei nesse blog. Conhece o poema de Martin Niemöller? Não? Leia-o aqui. Talvez entenda que esse processo está em curso e depende hoje da renovada oposição em não permitir sua ampliação. Você não acredita em mim? Não precisa, caro eleitor. Acompanhe aqui o que o petista Valter Pomar diz sobre o Foro de São Paulo e sobre o socialismo como objetivo final da América Latina. Eu tenho esperanças que esse processo nos próximos quatro anos, se não revertido, seja ao menos interrompido. Mas isso não impede de você procurar entender e aceitar que uma ditadura hoje, é muito mais possível com o PT no governo, e não com ele fora. Perceba que essa carta é um alerta para evitarmos esse processo, e não um lamento de algo que já existe. Enxergar alguns passos à frente pode ser benéfico para assumir uma posição.

Como entender as ideias de um eleitor que diz que aprecia a liberdade e repudia a ditadura mas vota no PT, que não pratica tais pensamentos e valores? A doutrinação escolar!
Doutrinação escolar típica das ditaduras
O sonho do PT, eleitor, é fazer com que você aceite que a democracia só pode existir diretamente, pois ele sabe que pode manipular os movimentos sociais como o MST e grupelhos estilo black-block, como os que depredaram a entrada da Editora Abril recentemente. Sua meta é não sair mais do poder, visto os golpes baixos praticados nessa eleição, como usar os correios para seu benefício e dissipar o medo da perda junto aos beneficiários de programas sociais. Seu desejo não é negociar, debater, mas sim eliminar toda oposição, classificando-a como golpista, preconceituosa, racista e nostálgica da ditadura militar. Eu garanto a você, eleitor, que eu não sou nada disso. Mas a força ideológica do PT é tão forte, que a maioria entre vocês é usada para propagar essas afirmações aos quatro ventos. Sim, a maioria entre vocês é uma massa idiota e útil usada pelo partido. Mas você, é claro, não acredita nisso. Possivelmente, já cresceu em meio à doutrinação escolar que vivemos, típico de regimes ditatoriais.

Para possuir tal condição, o PT insiste, evidenciados pela Resolução que divulgou recentemente, em projetos como a reforma política, a democratização da mídia e a democracia representativa, nomes bonitos para legitimar condições para que sua influência na governabilidade do Brasil e na manipulação da opinião pública seja cada vez maior. Se esses projetos vierem de fato a serem votados, eleitor, vou dedicar um texto separado a cada um deles, mas adianto que cada um deles garante uma supressão adicional de sua liberdade, entendendo que você seja uma pessoa comum como eu, e não um militante cadastrado em movimentos sociais ou oculto na mídia chapa-branca. Esses sim ganharão com tais regulamentações. Nessa mesma resolução, o PT afirma que é urgente construir a hegemonia na sociedade. Quem pensa assim não quer dialogar nada, mas sim impor sua ideologia. Tente avaliar além das palavras que estão escritas. O documento afirma com todas as letras que deseja uma revolução cultural e que vai aumentar recursos para a área de comunicação e cultura (em agentes que lhe agradam, naturalmente) para que as mudanças criem profundas raízes na sociedade brasileira.

Como entender as ideias de um eleitor que diz que aprecia a liberdade e repudia a ditadura, mas vota no PT, totalmente ao contrário de tais pensamentos?
Lula e os ditadores pelo mundo adorados pelo PT. E olha que faltaram vários!
Pois é, caro eleitor, mas mesmo assim, você deve estar achando que isso é muita teoria que não se converterá em prática propriamente dita. Vamos analisar alguns ações práticas então. Uma boa forma de se conhecer alguém é saber com quem a pessoa anda e em quê ela vê valor. Saindo um pouco do eixo da América Latina, onde já sabemos que o PT apoia ditaduras de fato como a cubana e veladas como a Venezuela, nós sabemos que o partido demoniza democracias ocidentais para se aliar a países como a Rússia, que mantém uma figura como Putin no poder já há 15 anos. Um país que notoriamente persegue homossexuais, assim como outro protegido do PT, o Irã, que além da ilegalidade de comportamento homossexual, condena mulheres por elas assistirem um jogo de vôlei. São os amigos do PT. Existem muitos outros exemplos, como o ex-ditador Kadafi, vários ditadores africanos e o regime chinês, que filtra todas as informações que você acessa pela internet. Você acha que nesses países há plena liberdade? Até organizações terroristas encontraram abrigo na ideologia do partido. Pois são esses países e instituições que o partido em que você votou, admira. Países onde o culto a um grande líder, típico de uma ditadura, é praticado. Mas é a democracia americana o verdadeiro inimigo, certo? E pasmem, caro eleitor petista, você acredita que estamos mais seguros contra uma ditadura mantendo o PT no governo! Qual palavra que poderia definir tal raciocínio?

A análise das ações praticadas pelo PT que usurpam a sua liberdade é extensa, como pode ser visto recentemente com a demissão e a tentativa de processar economistas que ousaram criticar a política do governo. Sua moral é clara, quando ignora as instituições democráticas do país e define como heróis bandidos condenados pelo STF. O espanto apenas diminui se considerarmos que o mesmo grupo possui políticos e heróis apoiados pelo PCC. Esse é o partido em que você votou, eleitor. Que tal atribuir à sua liberdade um valor ético inegociável e passar agora a opor-se a tudo isso? Precisamos de pessoas conscientes para atrasar ao máximo esse processo. Se ainda não se convenceu, ainda escreverei mais cartas com esses e outros temas. Ética e hipocrisia será um deles. Corrupção e poder, idem. E como consequência desta, o desmonte das conquistas sociais virá em sequência.

Segunda carta: sobre corrupção e poder
Terceira carta: a mentira e o estelionato eleitoral

Se quiser entender mais, veja esses artigos e clique nos links internos para avaliar as referências:

O perigo além do retrocesso econômico e ético no país
Eleições: uma análise ética e moral
O culto a um ex-presidente como um retrato da idiocracia no Brasil
Este ano vote no PT e conquiste uma Venezuela só para você

Mais sobre Estado e Política nessa página.


Comentários

  1. Bom o texto André ! De uma maneira muito mais rasa de conhecimento (eu admito), que a sua, compartilho de suas idéias.

    Abraço !

    ResponderExcluir
  2. Inflamação dos opositores, sem nem ao menos esperar estar no poder pra ver o fim de tudo. Ameaças que insistem em implantar ideologias de divisão, preconceitos. Birra, não aprenderam a ter limites. Não devem saber o que é xenofobia e idiocracia. Mas eu gostei do texto, é bom observar e comparar. Obrigado .

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Liberdade e poder: os direitos naturais de John Locke revisitados (1)

Porque abri uma conta no banco Inter e deixei de usar o Bradesco

"Dieta" paleo, low carb e jejum intermitente: minhas experiências