Nova loja eletronicos Amazon

A exploração sentimental da mentira pela esquerda: emoção x razão

A exploração emocional dos mais carentes pela esquerda pelo discurso do medo, tornando debates racionais em mera apologia para a perpetuação da pobreza.
A desonestidade intelectual petista nas páginas do Facebook

Como a esquerda explora emocionalmente as pessoas mais carentes através do discurso do medo, transformando propostas e debates racionais em mera apologia à perpetuação da pobreza e da fome. 


Esta é uma época difícil de escrever algo e não fugir ao tema eleição. O segundo turno está e continuará tenso. Informações, ações e discursos dos candidatos pululam em todas as manchetes, as análises dos blogs que acompanho enfatizam as estratégias e o facebook mostra algumas hipocrisias que permeiam o debate. Infelizmente, são as hipocrisias que predominam, tendo como pano de fundo a disseminação e o intenso uso da emoção para vencer algo que deveria estar estabelecido em bases racionais. E infelizmente, tal tipo de discurso, associado sentimentalmente ao medo de alguma perda e à posterior responsabilização dessa perda ao seu oponente político, gera resultados muitas vezes positivos. Tática pura da esquerda.

Um dos maiores embustes na campanha do PT é a exploração intelectual do segmento economicamente mais desfavorável entre os brasileiros: aqueles que recebem o bolsa-família. Claro que excluo nessa consideração os milhares que mamam nessa teta sem ter o devido direito, mas sigamos. Usaram-no contra Marina no primeiro turno e agora repetem com o Aécio. O que vem a seguir não é a discussão sobre os prós e contras desse modelo, mas sim a exemplificação de como a exploração dos mais pobres, realizada pela esquerda e representada nesse momento pelo PT, é algo óbvio e mesmo assim, permanece obscuro para tantas pessoas. E não! Não estou falando das pessoas que não tem o acesso à informação que possuímos. Não estou falando das pessoas que estão lá nos sertões de nosso país ou das pessoas que não possuem condição intelectual para entender algo tão simples, tão evidente. Estou falando de estudantes universitários, de professores, de sociólogos, enfim, de pessoas que possuem sim, capacidade de discernimento.

A exploração emocional dos mais carentes pela esquerda pelo discurso do medo, tornando debates racionais em mera apologia para a perpetuação da pobreza.
A hipocrisia petista: veja o discurso abaixo do Lula
Em uma postagem antiga, estimulado pela minha viagem a países como Vietnã, Camboja e Laos ("Socialismo e emoção: o exemplo do Sudeste Asiático") fiz uma tentativa de estabelecer alguns motivos para que tais pessoas, possuidoras de acesso à informação e um suficiente nível intelectual, ainda continuarem com ideias tão ultrapassadas, que já foram sepultadas pelos exemplos da história. Mas o assunto nesse texto é algo muito mais simples. Não é a ignorância que fica evidente nos discursos que pregam que o PSDB vai retirar o Bolsa-família ou suspender o assistencialismo, mas sim a hipocrisia, tantas vezes divulgada nesse espaço. Graças à internet, que dificultou a prática de alteração da história relatada no livro 1984 de George Orwell, podemos facilmente retroceder alguns anos para mostrar que tais programas assistenciais foram uma demanda legal cujas raízes estão na Constituição de 1988 (a qual o PT votou contra), e que tal renda, paga às famílias carentes com algumas contrapartidas, começou no governo do PSDB, com Fernando Henrique Cardoso. Assim como Lula e o PT foram contra o Plano Real, que erradicou a hiperinflação no país, também eram contra esse tipo de programa assistencial. Não, não sou eu quem afirma, mas sim o deus da esquerda. Confira aqui e veja a hipocrisia.


De qualquer forma, mesmo com a oposição do PT, foram criados no governo FHC o Bolsa-escola, o Vale-gás, o Bolsa-alimentação, entre outros, que foram reunidos posteriormente, fato que o próprio decreto da criação do Bolsa-família admite:

O PRESIDENTE DA REPÚBLICA Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte Lei:

Art. 1º Fica criado, no âmbito da Presidência da República, o Programa Bolsa Família, destinado às ações de transferência de renda com condicionalidades.

Parágrafo único. O Programa de que trata o caput tem por finalidade a unificação dos procedimentos de gestão e execução das ações de transferência de renda do Governo Federal, especialmente as do Programa Nacional de Renda Mínima vinculado à Educação – Bolsa Escola, instituído pela Lei nº 10.219, de 11 de abril de 2001, do Programa Nacional de Acesso à Alimentação – PNAA, criado pela Lei nº 10.689, de 13 de junho de 2003, do Programa Nacional de Renda Mínima vinculada à Saúde – Bolsa Alimentação, instituído pela Medida Provisória nº 2.206-1, de 6 de setembro de 2001, do Programa Auxílio-Gás, instituído pelo Decreto nº 4.102, de 24 de janeiro de 2002, e do Cadastramento Único do Governo Federal, instituído pelo Decreto nº 3.877, de 24 de julho de 2001.

Mais: a ideia da unificação dos programas sociais, foi dada pelo governador do PSDB em Goiás, Marconi Perilo, como foi admitido pelo Lula na ocasião. Não foi ideia do PT. Tanto o programa, tanto a lista de beneficiados, bem como a ideia da reunião para facilitar a gestão, vieram do PSDB. Confira em uma reportagem da época:


Assim, o primeiro passo da hipocrisia é ponderar de forma diferente uma mesma atitude quando vem de pessoas de lados políticos opostos. O primeiro passo para ser um papagaio de pirata, e consequentemente um idiota útil, é repetir o que se ouve sem checar os fatos. O primeiro passo para a desonestidade intelectual, é tentar cooptar pessoas menos favorecidas para a somente e sua própria verdade. Táticas extensamente praticadas pelo grupo que está hoje no poder. Pense nisso antes de votar. Usem esses argumentos para transmitir a razão para quem ainda tem extensas dificuldades de aceitá-la em seu modelo mental. Seja por desejo ou por pura ignorância.

Essas postagens mostram a sanha ditatorial do PT:
Liberdades restritas através das práticas e intenções do Estado
Esse ano vote no PT e conquiste uma Venezuela só para você

Essa postagem mostra a diferença entre o PSDB e o PT:
Eleições: uma análise ética e moral. Ou: as diferenças entre o PT e o PSDB

Mais artigos sobre Política e Estado nessa página.

Comentários

Postar um comentário

kindle

Leia também:

O adeus ao cartão Infinite, às "milhas aéreas" e a opção ao Nubank

Liberdade e poder: os direitos naturais de John Locke revisitados

Porque abri uma conta no banco Inter e deixei de usar o Bradesco