Os roubos no seu salário (3) – Sindicatos e associações de classe

Sindicatos e associações de classe e os roubos no seu salário
Esse dinheiro era para ser de todos trabalhadores assalariados

A farra dos sindicatos e das associações de classe é feita com o dinheiro roubado de seu salário.


Finalizando essa pequena série, falemos agora do famigerado imposto e contribuição assistencial aos sindicatos, que nada tem de contribuição porque não é de fato, uma escolha. Você simplesmente é obrigado a pagar um dos dois ou ambos, seja através do pagamento mensal ou através do desconto em um mês do ano do valor referente a um dia de seu trabalho. Inspiração claramente fascista. Em algumas profissões existe a possibilidade de “trocar” esse roubo por outro: o pagamento anual da associação de classe. Ou seja, o que é alterado são apenas os larápios que recebem, sem nenhum esforço, o seu dinheiro, deixando ainda mais evidente a ineptocracia que vivemos. Para esse “imposto”, o valor monetário não é tão vultoso quanto os valores comentados nas postagens sobre o FGTS ou INSS, mas o valor moral da sua cobrança é ainda pior.

Os sindicatos são uma das associações mais perversas que existem em nosso país. São formados por uma burocracia sustentada pelos roubos nas rendas de cada assalariado e, mesmo assim, são legitimados pelo Estado. Um câncer para o país em processo de avançada metástase desde o início do governo petista, sempre posicionam-se contra a produtividade e a justiça meritória. A essência de sua doutrina resume-se à colocar os assalariados como vítimas indefesas em função da “exploração dos capitalistas”, e promovem, para seu próprio benefício, a dependência total de seus associados perante à si próprios. Já convivi com líderes sindicais, e a maioria possui uma moral podre, como aceitar como moedas de troca, dinheiro para não promover greves.

Nem mesmo aos trabalhadores eles são úteis. Seus conceitos arcaicos do funcionamento da economia faz com que o mercado encontre-se cada vez mais engessado, prejudicando tanto a empresa quanto os próprios assalariados. Os sindicalistas desconhecem a relação da produtividade com o aumento do investimento, o qual necessita de menores gastos governamentais e consequente reduções de impostos, para resultar ao final uma diminuição de preços dos produtos, que beneficiariam toda a classe com menor poder econômico. São assim, totalmente ignorantes quanto às leis da economia. Para aprofundamento, veja esse artigo da página do Mises.

Nas associações de classe não é diferente. Primeiramente, elas (com alguma exceção da OAB, que seleciona seus associados através de um exame) não legitimam o profissional formado a exercer sua profissão. Este, após ter sido aprovado em seu curso já tem o direito pleno e natural ao trabalho. É vergonhoso o conceito de que o recém-formado só possui esse direito quando lhe é extorquido o montante anual para a associação. No que isso torna o profissional apto ou não apto? Além disso, quando essas associações tentam defender um determinado monopólio limitando a atuação do recém-formado, batem de encontro com outras associações, prejudicam o processo dinâmico de oferta e demanda do mercado e não concedem liberdade e independência para os profissionais decidirem em qual área deseja trabalhar. É mais uma forma de cultivar a dependência dos demais para legitimar sua própria existência.

Você conhece pessoas que realmente acham que essas entidades as beneficia? Como podem obter benefícios quando são essas mesmas entidades que solapam o seu direito, único e inalienável, de vender o seu trabalho de acordo com o seu próprio desejo? Quando que sairão desse cabresto ideológico e renascerão como cidadãos verdadeiramente livres?

Veja as duas primeiras postagens dessa pequena série:
Os roubos no seu salário (Parte 1) - O FGTS e o confisco de seu dinheiro
Os roubos no seu salário (Parte 2) – O INSS e a falência do sistema

Nessas postagens, o desconto do Imposto de Renda, não foi contemplado, uma vez que a motivação de sua cobrança nada tem de camuflagem: você o paga claramente para sustentar o paquiderme estatal em toda sua eficiência, eficácia e valores morais.

Para mais textos sobre liberdade e política, clique aqui.



Comentários

  1. Nada haver o dinheiro que entra no sindicato através das contribuições sindicais são usados no sindicato para melhorar eles e em consequência ter mais armas para defender a classe trabalhadora.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vc acredita em papai noel tb ? Sindicato não defende trabalhador coisa nenhuma, sindicato defende seus próprios interesses com o pretexto de defender o trabalhador .

      Excluir
    2. Vc acredita em papai noel tb ? Sindicato não defende trabalhador coisa nenhuma, sindicato defende seus próprios interesses com o pretexto de defender o trabalhador .

      Excluir
    3. Não André e Sandro, o tal Bosco Bass, deve trabalhar no sindicato ou em alguma associação de classe. Só pode! Tem maluco e cego para tudo nesse mundo. O paizinho de merda!

      Excluir
    4. Sabe nada inocente
      Os sindicatos patrocinam o PT

      Excluir
    5. KKKKK.. o cara é comédia ou ele é mesmo um desses bate pau bêbado de porta de sindicato?? Patético esse papinho de "çindicato onesto"..kkkkk

      Excluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Liberdade e poder: os direitos naturais de John Locke revisitados (1)

Porque abri uma conta no banco Inter e deixei de usar o Bradesco

"Dieta" paleo, low carb e jejum intermitente: minhas experiências