Textual description of firstImageUrl

Dias 141 a 142 da viagem: Delta do rio Mekong, ao sul do Vietnã

Relato da viagem à região do Delta do rio Mekong, baseada na cidade de Cantho, no sul do Vietnã; noite em uma homestay local e o mercado de Cai Rang.
Chegando na homestay ao final da tarde

A viagem à fantástica região do Delta do rio Mekong, no sul do Vietnã. Baseada na cidade de Cantho, com noite em uma homestay local e o grande mercado de Cai Rang.


Em Ho Chi Minh comprei um pacote de uma operadora local para a visita do Delta do Mekong, com a duração de dois dias, passando uma noite na região dentro de uma homestay mantida por uma família local (hotel era outra opção). Fiquei em dúvida como seria essa homestay, e desconfiei de ser algo meio turístico. Mas mesmo assim arrisquei, e essa escolha nos proporcionou um dos melhores momentos da viagem, narrados a seguir. O delta do rio é, apesar das condições geográficas peculiares – em todo lugar há rios, igarapés, formando milhares de ilhas, uma das áreas mais populosas do país, em uma economia baseada na pesca e no cultivo do arroz, beneficiado justamente por essa abundância de umidade.

A viagem teve uma parada inicial na cidade de My Tho, onde paramos para ver a bela Pagoda Vinh Tragn, com uma das estátuas mais divertidas de Buda. Após essa parada, pegamos um barco e até o dia seguinte o transporte principal seria aquático! Paramos em uma ilha um passeio de charrete (?...). Coisas de pacote turístico, sem comentários… E almoçamos, junto com um espanhol e uma colombiana, na ilha Tortoise, um um bonito local com pontes de bambu atravessando igarapés.

Relato da viagem à região do Delta do rio Mekong, baseada na cidade de Cantho, no sul do Vietnã; noite em uma homestay local e o mercado de Cai Rang.
Estátua gigante do Buda sorrindo
Jaulas de crocodilos também estavam presentes, e uma das diversões dos turistas era alimentá-los com carne através de varas de bambu. Claro, sempre tentando fazer os bichinhos de idiotas. Mas era divertido vê-los imobilizados e rapidamente, darem o bote na carne. Após o almoço, ocorreu um dos pontos altos da viagem: fomos a um passeio de canoa conduzido por duas vietnamitas entre estreitos cursos de água, admirando as plantações na margem e a vegetação local. E posteriormente visitamos várias vilas, pomares, artesanatos locais, e em um deles tive a oportunidade de carregar uma cobra de 8 quilos nas costas. Sensação meio estranha…

Relato da viagem à região do Delta do rio Mekong, baseada na cidade de Cantho, no sul do Vietnã; noite em uma homestay local e o mercado de Cai Rang.
Pelo meio dos igarapés... calor, mas com paz!
Chegando ao final da tarde, fomos para a homestay, em uma viagem que finalizaria com quase 40 minutos de barco por um canal nos arredores de Can Tho. O pôr do sol, durante essa navegação estava incrível. Pena que a vegetação atrapalhou um pouco a contemplação. A homestay era simples, mas bem aconchegante. Claro, não havia ar condicionado, mas as camas tinham mosquiteiro. Deu para sentir como um bebê se sente dentro de um berço. O jantar na homestay foi servido cedo, logo após quando chegamos, por volta das 18:30hs e foi muito bom! Um peixe delicioso, feito pela própria família, arroz, vegetais e sopa. Acompanhado claro, de uma cervejinha. Até então não fazíamos muita noção de onde estávamos, pois chegamos de barco na residência. Algo como a porta dos fundos para a gente, mas talvez para eles, seria a da frente… 

Relato da viagem à região do Delta do rio Mekong, baseada na cidade de Cantho, no sul do Vietnã; noite em uma homestay local e o mercado de Cai Rang.
Festa de aniversário no Mercado Central
Fomos direto após o jantar para a rua no lado oposto e vimos que estávamos em uma autêntica vila local. Sem vendedores, sem agências de turismo, sem pessoas oferecendo táxis e motorbikes para você… um paraíso em tranquilidade. Na volta para a homestay, estava acontecendo uma festa de aniversário de uma moradora local dentro do mercado central (!). E como paramos na frente apenas por curiosidade, fomos convidados a entrar. Em meio a músicas eletrônicas e dançantes como Gangstyle escolhidas por uma espécie de DJ, nos ofereceram cerveja (quente, mas com gelo no copo), puxavam assunto e dançavam muito. O dono do homestay disse que bebem até cair. Muitas crianças estavam no local e dançavam muito. Acabei ficando um bom tempo com elas em uma coreografia que inventei na hora, lembrando das aulas de ritmo e dança da faculdade. Nesse aspecto porém, eu só consigo enganar de forma razoável crianças mesmo…

Relato da viagem à região do Delta do rio Mekong, baseada na cidade de Cantho, no sul do Vietnã; noite em uma homestay local e o mercado de Cai Rang.
Artesanato em uma das ilhas
Acordamos para ver o amanhecer e tomar café no mercado local. O mercado é como todos os outros aqui na Ásia: cheio de peixes, caramujos, tartarugas, cobras e outros bichos vivos e também já degolados, com muito sangue escorrido nas calçadas. Voltamos posteriormente para a homestay para o café da manhã, que não foi tão bom quanto o jantar anterior, mas deu para enganar a fome. Após a despedida da família, nos encontramos no barco junto com o grupo que passou a noite no hotel e fomos ao maior mercado flutuante do delta, o Cai Rang. Os barcos, centenas deles, formam uma miríade no rio em uma linha praticamente onde é possível caminhar de um para o outro tranquilamente. Vende-se de tudo o que de pode imaginar nos barcos, desde um noodle quentinho até um café gelado (comum no Vietnã). As frutas, especialidade da região, são inúmeras e muito saborosas. O passeio continuou por vilas locais, mostrando o artesanato realizado pelos moradores. Porém o mais interessante nessa parte final foi a visita de uma mini-fábrica bem artesanal de noodles. Lembrei muito dos meus antigos estudos no Curso de Engenharia de Alimentos, algo que hoje, estou bem distante…

Voltamos, após uma viagem de 3 horas, para Ho Chi Minh para os últimos dois dias no Vietnã.


Mais fotos no Google+ e no Pinterest.

Próximo post: Bali, Indonésia.

Nenhum comentário:

Postar um comentário