Dia 16 da viagem: chegada pelo mar à Bodrum, Turquia

Relato da chegada pelo mar e viagem à Turquia, via Bodrum
Pôr do sol a caminho de Bodrum

A chegada pelo mar na cidade de Bodrum na Turquia, e um Natal sem Natal.


A viagem de barco de Kos para Bodrum demorou pouco mais de uma hora e proporcionou um lindo espetáculo de um “quase” pôr-do-sol, interrompido por uma elevação no relevo próximo à chegada da cidade. Antes de começar a falar sobre a cidade, uma informação ao futuro viajante sobre as travessias de ferry da Grécia para Turquia: cuidado com os preços de agências de viagem. Eu comprei o meu antecipadamente, por motivos que relatei aqui, e paguei pela suposta segurança o valor de 126 euros para as três travessias. Achei razoável, visto que pagaria cerca de 100 euros pelo vôo low-cost Atenas-Istambul. Porém, os preços reais são bem menores. Perguntei o valor do ticket em cada viagem e o total somado deu 84 euros. Uma diferença que não é só comissão, e sim espoliação. Essa mesma agência queria me vender as passagens de ônibus dentro da Turquia. Só a primeira, de Bodrum para Selçuk, o valor seria de 18 euros. Eu paguei comprando na hora, pela empresa Turgutreis, 20 liras turcas, ou 8,5 euros. Menos de metade nesse caso.

Relato da chegada pelo mar e viagem à Turquia, via Bodrum
Os iates na marina de Bodrum
Brasileiros não precisam de visto para Turquia e não existe nenhuma taxa. A passagem na imigração foi imediata. Logo na rua que liga o porto à cidade, sua atenção se volta para o nível de sofisticação dos iates ancorados na marina. Um mais belo que o outro e revela a vocação natural da cidade (assim como Kos) de ser um importante balneário de férias e com sua economia voltada para os produtos do mar, onde até os souvenir possuem esse tema. O hotel que escolhi foi o AA Hotel, que, embora agradável, estava em reforma e com um pouco de cheiro de tinta e cimento. Acho que devido a isso o proprietário, muito atencioso, fez um preço tão bom: 13 euros ao invés dos 22 euros do booking.com.

Relato da chegada pelo mar e viagem à Turquia, via Bodrum
Noite de 24 de dezembro: um dia normal na cidade
Até então, no caminho do hotel, a cidade não se parece com nada que espera-se para um país muçulmano, exceto pelo fato da noite do dia 24 de dezembro ser um dia completamente normal para a cidade. Claro que a Turquia não possui o mesmo rigor nos costumes dos países islâmicos mais tradicionais, porém, o extremo oposto chama a atenção. É, por exemplo, muito difícil encontrar uma mulher usando véu. Pelo contrário, as roupas utilizadas são totalmente ocidentais. Lojas de lingerie expõem nas vitrines manequins usando os modelos mais ousados e telões na rua divulgam propagandas em meio à videoclips de rock turco. No caminho do hotel percebe-se, entretanto, que há uma diferença na paisagem: a presença de inúmeras mesquitas na cidade. E após realizar o check-in no hotel e sair pela cidade, presenciei o chamado das mesquitas nos alto-falantes dos minaretes, o que cria a inconfundível sensação de estar, de fato, num país muçulmano. Eu gravei um vídeo desse momento, está disponibilizado junto com as fotos no link ao final da postagem.

Relato da chegada pelo mar e viagem à Turquia, via Bodrum
Uma praia na costa turca
A cidade em sua área portuária e turística é muito bem cuidada, incluindo calçadões de porcelanato em algumas ruas de pedestres. Porém, fora da área turística, apesar da simpatia do local, com muita arquitetura cicládica (mais do que Kos, na minha impressão, confira no restante das fotos), falta uma melhor manutenção e cuidado das calçadas, das construções e do lixo nas ruas. Possui alguns pontos para destaque de visitação como o Castelo de Bodrum, o portão Mindus e um teatro helênico construído no século IV a.C., imponente e com uma linda vista da cidade, mas com uma acústica não tão perfeita quanto o teatro de Epidavrus. Chama também a atenção na cidade as inúmeras cisternas, construídas durante o império otomano para aproveitamento da água das chuvas. Consegui um tempinho para dar uma passeadinha na praia de pedregulhos (como todas que vi nas ilhas) pela manhã, aproveitando o dia um pouco mais quente.

De qualquer forma, apesar de Bodrum não ter sido um destino particular, e surgiu no roteiro apenas por ser a rota final da travessia de ferry da Grécia, foi uma cidade que valeu a pena ter conhecido. Foi a responsável por passar uma boa impressão inicial da Turquia. E como comentei no início do post, fui ao anoitecer a Selçuk, cidade usada como apoio para a visita da antiga cidade de Éfeso, antes de partir para a Capadócia.

Veja as demais fotos no Google+.

Próximo post: Éfeso.

Comentários

  1. parece uma praia deserta!!!!!mas uma vista linda

    ResponderExcluir
  2. Muito legal André! Seus relatos são muito bem escritos.
    Quando eu reprogramar já sei que ferry vou deixar pra comprar ai idem para a maioria dos hoteis.Mas creio que maio pra junho n serão tão baratos como os valores que vc pagou agora
    Bjs
    Joice

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim Joice, acredito que sim... O motivo principal para eu sugerir comprar aqui mesmo é por ser fora da temporada. Em outra situação, é bom analisar com cuidado. Mas que reservando vc pagará mais caro, me parece fato! :-)
      Bjus.

      Excluir
  3. Excelentes textos e dicas! Estou adorando as fotos e os relatos são realmente muito bem escritos. Tô esperando Ephesus! Bj

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado Carol! vou tentar postar Éfeso hoje à noite! Mas a internet nesse quarto-caverna não está ajudando rsrs. Bjus!

      Excluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Liberdade e poder: os direitos naturais de John Locke revisitados (1)

Porque abri uma conta no banco Intermedium e deixei de usar o Bradesco

"Dieta" paleo, low carb e jejum intermitente: minhas experiências