ofertas de lancamentos

Dias 11 e 12 da viagem: Pireus, Grécia e a viagem de navio no Mar Egeu

Dias 11 e 12 da viagem: Pireus, Grécia e a viagem de navio no Mar Egeu
No mar Egeu, caminho para Rodes

Relato da cidade de Pireus e travessia no Mar Egeu de ferry - Atenas a Rodes


O décimo dia na verdade foi o dia que voltei de Nafplio, onde fiquei uma noite a mais em virtude do problema do ônibus. Cheguei novamente em Atenas após o almoço, no meio da greve dos transportes com a cidade em caos. Por sorte, no retorno o ônibus fez um circuito diferente em relação à ida e desci antes do terminal, perto do hotel, para onde fui direto e me permiti descansar e colocar as rotinas que ainda mantenho em dia apesar da viagem. Sim, por mais que nos desliguemos, nossos compromissos e preocupações não  permitem um desligamento geral. E isso pode ser um elemento de equilíbrio durante uma longa viagem, o que necessariamente, não significa que seja bom. Escrevi um pouco sobre isso no navio: o elemento esquecido nas viagens.

No dia seguinte saí na hora do almoço para ir a Pireus, uma cidade portuária vizinha de Atenas e de onde sairia meu navio para Rodes. O navio só sairia às 19hs, mas como eu teria de sair do hotel ao meio-dia, aproveitei a tarde para conhecer a cidade. Cheguei pelo metrô, fui direto aos escritórios da BlueStar (após sair da bonita estação, atravesse a escada rolante acima da rua, caminhe para a esquerda e vire a direita no terceiro quarteirão) para emitir os tickets e depois fui andar pela cidade.



Dias 11 e 12 da viagem: Pireus, Grécia e a viagem de navio no Mar Egeu
Estação de metrô em Pireus
Pireus é uma cidade com trânsito caótico, motoristas que não respeitam o mínimo da lei, e possui poucos pontos de interesse, embora conte com um conte com um bonito teatro e algumas igrejas, além da própria estação de metrô, construída no século XIX. Se tiver tempo, vale ir à marina e subir o monte Kastella para ter uma visão (mais ou menos) panorâmica da cidade. Algumas escavações do passado também emergem nas ruas, como Atenas. No mais a cidade possui posição estratégica no país, abrigando o maior porto da Grécia. Abriga também um posto de gasolina sob um prédio, algo que nunca soube que podia existir. Com uma boa oferta, você compraria um apartamento acima dele?

Dias 11 e 12 da viagem: Pireus, Grécia e a viagem de navio no Mar Egeu
Você moraria em cima de um posto de gasolina?
Após essa tensa caminhada na cidade, outra estava me aguardando. O porto é enorme e o portão de embarque do meu navio era o E1, o primeiro mas o último para minha referência, já que a estação do metrô fica no portão E6. E acreditem, são mais de trinta minutos de caminhada. Existe um ônibus gratuito que faz essa rota pelo porto, mas eu quis ir a pé para sentir seus ares, ver os navios. A última vez que fui em um porto foi para checar armazéns para recebimento de malte para cerveja (ou a chegada do próprio malte, não me lembro qual situação foi a última).  Nostalgia…

No mapa que o escritório da companhia havia me fornecido dizia que cada terminal tem suas salas de embarque exclusivas, com temperatura controlada, wi-fi grátis, snacks e bebidas. Cheguei no terminal umas 17hs e a situação era de um vazio total. Apenas 3 pessoas no salão enorme e frio. Nada de aquecimento. A wi-fi não funcionou e os snacks e bebidas (que estava contando para alimentação) eram vending-machines… Nenhum funcionário da companhia, nem do porto, nem mesmo um balcão. Foi muito estranho.

Dias 11 e 12 da viagem: Pireus, Grécia e a viagem de navio no Mar Egeu
Um dos diferentes ambientes do navio
Até que comecei a sentir uma movimentação do lado de fora da estação, faltando ainda mais de uma hora da saída. E já existiam muitas pessoas entrando no navio. Na verdade, a maioria não usa o espaço disponibilizado. Após a entrada do navio em escadas rolantes, você sente respeito pelo tamanho, mas não chega perto dos transatlânticos gigantes que hospedam os cruzeiros mais famosos do mundo. Possui 9 andares, sendo apenas os 3 superiores dedicados aos passageiros. Os demais, cargas e carros. Contei 3 restaurantes com espaços bem confortáveis, dois cafés e um restaurante do tipo “fast-food”. Oferece ainda sala de brincadeiras para crianças, sala de jogos eletrônicos e muitos ambientes com mesas e cadeiras que permitem uma integração maior entre os passageiros.

Dentro do navio a sensação de velocidade é tênue. Parece que estamos parados como em um avião, embora haja uma vibração um pouco incômoda. Porém, a sensação no deck é bem diferente, com o vento gelado aprofundando a sensação de velocidade. Verifiquei em uma grande tela de GPS que existe dentro do navio e estávamos a 25 nós, cerca de quase 50km/h. Sim, também uma viagem lenta. Que bom!

Dias 11 e 12 da viagem: Pireus, Grécia e a viagem de navio no Mar Egeu
Soneca no carpete
Passamos pelas ilhas de Siros, Paros e Kos até chegarmos na manhã seguinte à Rodes. O conforto dos assentos, aparentemente, é melhor que no avião, com poltronas mais largas e mais reclináveis. Corredores largos permitem a colocação das malas ao lado das poltronas. Será que o espaço não poderia ser otimizado pela limitação dos passageiros no navio? Há muitos espaços vazios em seu interior. Porém, esses espaços salvaram minha noite. As poltronas, apesar de confortáveis, não permitem que se remova o braço, largo, no seu meio. E para quem não consegue dormir sentado, complica demais. Com o barco relativamente vazio, fui andar um pouco por volta da meia-noite e vi um monte de pessoas dormindo no chão, no carpete de vários ambientes. Não deu outra. Achei um canto, peguei meu saco de dormir e meu travesseiro inflável e curti o carpete do navio. Foi mais do que suficiente para dormir boas horas de sono.

Veja as melhores fotos da Grécia no álbum do Pinterest e todas as fotos dessa postagem no Google+

Próximo post: Rodes.

Comentários

  1. esta aventura poderia virar um filme André fica a dica .

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado Anônimo!

      Conhece algum diretor a fim de? :-D

      Abraço!

      Excluir
  2. Andre tudo bem?
    saio de Bodrum para Kos, depois posso ir para qual ilha? para começar a montar um roteiro

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anônimo, de Kos existem várias opções, mas impossíveis de comentar agora, pois dependem da época e da demanda. Sugiro checar em sites específicos.

      Abraço!

      Excluir

Postar um comentário

kindle

Leia também:

O adeus ao cartão Infinite, às "milhas aéreas" e a opção ao Nubank

Liberdade e poder: os direitos naturais de John Locke revisitados

Porque abri uma conta no banco Inter e deixei de usar o Bradesco