Textual description of firstImageUrl

Presente, futuro e independência financeira: um pensamento não linear

Como o pensamento linear e não linear correlacionam-se com os benefícios da independência financeira, do presente ao futuro, em pessoas perdulárias e frugais?
Heydar Aliyev Center, em Baku, Azerbaijao - arquitetura não linear?

Como o pensamento linear e o pensamento não linear correlacionam-se com as variáveis necessárias para a conquista da independência financeira? Ou ainda, com os benefícios dessa conquista, desde o presente até o futuro, em meio à pessoas perdulárias e frugais.


Caros leitores, vocês concordam que para fazer boas escolhas na vida, incluindo decisões sobre investimentos, precisamos ter clareza nos pensamentos? Clareza para avaliar argumentos, ponderações, cálculos, leis e decidir, a partir de todas essas informações, o melhor caminho a seguir? 

Estou lendo um livro muito interessante sobre "O poder do Pensamento Matemático" - e já no primeiro capítulo deparei-me com um pensamento interessante para compartilhar com vocês.

Apesar da repulsa que provoca a algumas pessoas, a matemática auxilia a melhorar nosso modelo mental do mundo. Ela nos ajuda a superar as inseguranças, afina nossas intuições e aprimora nossa capacidade de julgamento. Muitas das fatalidades financeiras pessoais provém de carências de um pensamento matemático. Muitas das bobagens que são ditas por (supostos)  formadores de opinião na política e na economia, idem. Principalmente se vierem da ala do pensamento de esquerda...

Em grande parte das metas que bati na minha vida, o pensamento matemático, adquirido no curso de engenharia na universidade, foi fundamental. E, contrariamente ao que a maioria pensa, ele não é exclusivo para quem obteve formação universitária na área. Ele é acessível a todos que demonstrarem interesse em aprender sempre mais. E esse livro é um excelente referencial.

Ah, e antes de começarmos a conversar, deixo registrado que todos os gráficos nessa postagem foram desenhados pela minha filha, recém formada em Arquitetura. Agradeço a ela pela ajuda e aproveito para parabenizá-la muito pela sua conquista! :)


Matemática Básica


O pensamento linear


Textual description of firstImageUrl

Porque abri uma conta no banco Intermedium e deixei de usar o Bradesco


As razões para abrir uma conta digital no banco Intermedium e suas vantagens em relação aos grandes bancos, incluindo meu velho Bradesco.
Em processo de transição

Nessa postagem vou explicar os meus motivos para abrir uma conta digital no banco Intermedium e deixar de usar o Bradesco, que me acompanhou nas últimas décadas. E como uma mudança similar pode valer a pena para você.


Esse é mais um texto para quebrar paradigmas e desfazer resistências. Vocês já pararam para pensar como somos teimosos em sair de nossa zona de conforto? Há quanto tempo você está insatisfeito com seu banco, paga tarifas todo o mês, não tem seus problemas resolvidos pelo gerente e diz para si mesmo que "precisa resolver isto". Mas o fato é que você não tira a bunda da cadeira...

Vou falar um pouco do meu histórico com o Bradesco, da abertura de conta digital no banco Intermedium e de suas vantagens e desvantagens. Vou procurar gerar em você o incentivo para fazer isso ainda hoje, caso identifique-se com a ideia. Vamos lá?

[Ah, falando de zona de conforto, se desejar ler um texto sobre o assunto e além disso gosta do rock dos anos 80, vale a pena dar uma olhada aqui: A saída e a ampliação da zona de conforto - e um quiz sobre o rock brasileiro.]


Minha história com o Bradesco


Eu possuo conta corrente no Bradesco desde o início de 1998, quando comecei a trabalhar na empresa onde fiquei por mais de 12 anos. Não escolhi. Ela era necessária para receber o salário mensalmente. Poucos meses depois, fechei a conta que tinha no Banco do Brasil, a qual tinha aberto, da mesma forma, não por desejo, mas por necessidade, uma vez que havia passado no concurso de 1993.
Textual description of firstImageUrl

Quando a vergonha ofusca o real prazer e lesa sua independência financeira

Em seu rumo à independência financeira, você encontrará várias barreiras. Uma delas é entender como a vergonha confunde a percepção dos reais prazeres da vida.

Em sua jornada rumo à liberdade e à independência financeira, é essencial compreender como a vergonha confunde a percepção e o significado dos reais prazeres da vida. E como a felicidade não depende apenas de condições objetivas.


O ditado popular diz que você apenas pode tornar-se independente financeiramente de três maneiras: herdando uma fortuna, casando com alguém que possua uma fortuna ou recebendo uma fortuna apostando nos números corretos da loteria.

Entretanto, se você possui algum conhecimento financeiro, sabe que tal ditado é uma falácia. Sim, são de fato alguns caminhos. Porém, uma vez que são caminhos fáceis, praticamente atalhos, não criam raízes. E conquistas sem raízes são bem mais susceptíveis a desastres no futuro.

As pessoas que possuem consciência da importância do hábito, da perseverança, do aprendizado e de seu protagonismo no processo, sabe que o caminho mais sólido é conduzir um saudável equilíbrio de despesas e investimentos em seu orçamento.

Se você ainda não se convenceu da importância que uma gestão financeira pode fazer na sua vida, leia o artigo O essencial do orçamento e fluxo de caixa. E uma planilha de brinde ao final. É uma importante ajuda para fixar certos conceitos. E essencial para sua independência financeira.

No entanto, esse controle gera muitas dúvidas a aflições. Pululam na internet artigos dizendo quais percentuais você deveria preservar de suas receitas para aportar em seu patrimônio. Esse equilíbrio é a grande incógnita a ser desvendada. A maioria foca mais no presente e não importa-se muito com o futuro. Outros optam pela frugalidade extrema, em troca da satisfação momentânea.

Esse artigo propõe considerar alguns fundamentos que nos impulsionam às compras, principalmente nessa semana de BlackFriday. E provoca algumas reflexões sobre qual o tipo de prazer é realmente importante em nossa vida.

Textual description of firstImageUrl

Alugar ou comprar um imóvel: minha experiência, opinião e bobagens diversas

É melhor alugar ou comprar um imóvel? Análises financeiras e emocionais mostram que, devido à sua paz e liberdade, alugar, e não comprar, é a melhor opção.

Caro leitor, esse texto não é politicamente correto. Não finalizo afirmando que a decisão de comprar ou alugar um imóvel depende de cada um. Afirmo que você perde tanto financeiramente, mas também perde sua liberdade, paz e saúde se decidir pela compra. E, expondo meus argumentos juntamente com a minha história pessoal, vou explicar os motivos de minha opinião.


Antes de iniciar o texto propriamente dito, vale aqui um comentário.

Muitas vezes os argumentos em um debate são desvirtuados quando seus oponentes buscam exceções para provar a veracidade de algo. Deixo aqui claro que exceções devem ser tratadas pelo o que são: exceções. E na sequência do texto, teremos a oportunidade de conhecer algumas delas. Adiante e boa leitura!


Por que você perde dinheiro comprando um imóvel? E um começo de vida desastroso


Inicio o texto com a temática financeira. Conversaremos posteriormente sobre os tabus emocionais, ok?
Textual description of firstImageUrl

O essencial do orçamento e fluxo de caixa. E uma planilha de brinde ao final

A liberdade financeira depende inicialmente de controlar o orçamento (receitas, gastos e despesas) e o fluxo de caixa através de uma planilha
A liberdade é também financeira. E o primeiro passo está nesse artigo

O controle do orçamento e fluxo de caixa é o primeiro (e essencial) passo na viagem à independência financeira. Segue um guia sobre seus fundamentos e o acesso à minha planilha pessoal do Google docs como ferramenta de auxílio nessa jornada. 


Apesar de não ser consultor financeiro de fato, recebi essa semana um telefonema de mais um amigo pedindo orientações para investir algumas economias mensalmente. Ou seja, pedindo ajuda em quê, como o onde aplicar.

Perguntei inicialmente qual o montante mensal que ele disponibilizaria para promover esse investimento de forma consistente.

Comunicado o valor, quis saber se essa meta estaria coerente com seu orçamento e fluxo de caixa anual a curto e médio prazo, pois os cenários de investimento dependem fundamentalmente dessa informação. É fundamental por exemplo, conhecer os prazos que o dinheiro pode ficar aplicado sem sobressaltos.

Ele disse que iria rever suas condições e me ligaria novamente, sem antes pedir a mim uma ferramenta que pudesse ajudá-lo a obter tais esclarecimentos.

Decidi assim partilhar publicamente a todos os leitores desse blog, a planilha que uso para controlar o meu orçamento e meu fluxo de caixa, ou seja, o controle de gastos e despesas, assim como de receitas.

É um instrumento que está em uso já há um bom tempo e já foi bem testada por mim e outras pessoas que já mostraram interesse anteriormente. Simples. Porém muito efetivo.